Lan Hongguang/Reuters
Lan Hongguang/Reuters

Xi e Trump conversam por telefone sobre situação da Coreia do Norte

Líder chinês defendeu solução pacífica para resolver a situação e expressou interesse em manter-se coordenação com Trump em relação a Pyongyang; após contato, republicano afirmou à emissora americana que enviou 'uma Marinha muito forte' para a região

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2017 | 02h29
Atualizado 12 Abril 2017 | 11h28

PEQUIM - O presidente da China, Xi Jinping, conversou por telefone nesta quarta-feira, 12, com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a situação da Coreia do Norte, de acordo com informações da emissora estatal chinesa "CCTV".

Xi defendeu na conversa com Trump "resolver os problemas através do diálogo", um dia depois de o líder americano ter advertido que está preparado para "solucionar o problema da Coreia do Norte" de forma unilateral e sem a ajuda da China, tradicional aliado do regime de Kim Jong-un.

O presidente chinês manifestou que Pequim continua comprometido com a desnuclearização da Península Coreana e procura manter a paz e estabilidade nesta região. O presidente chinês também expressou o interesse em manter-se coordenação com Trump em relação a Pyongyang, justamente em um momento da escalada de tensões, após os lançamentos repetidos de mísseis por parte do regime norte-coreano e do envio do porta-aviões USS Carl Vinson e seu grupo de ataque para águas próximas a Coreia do Norte, como mostra da força americana diante dessas provocações.

Durante a ligação, os dois líderes também falaram sobre o conflito sírio e Xi afirmou que qualquer uso de armas químicas é "inaceitável". No entanto, ele defendeu resolver a disputa por "meios políticos".

O presidente chinês sublinhou o papel da ONU como mediador e disse esperar que o Conselho de Segurança possa se mostrar unido, em um momento de clara divisão entre seus membros.

O telefonema entre Xi e Trump aconteceu poucos dias depois de os dois governantes terem seu primeiro encontro na Flórida, em Mar-a-Lago, propriedade do presidente americano. Xi Jinping considerou que a reunião na Flórida foi "muito bem sucedida" e disse que foram alcançaram acordos "importantes".

Um dos frutos da reunião na Flórida foi o anúncio de um plano de ação de 100 dias sobre o comércio entre EUA e China. 

Entrevista. Trump garantiu nesta quarta-feira que enviará à Coreia do Norte uma Marinha muito forte, perante as ameaças do regime de Pyongyang e disse que o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, "está agindo de forma errada", durante entrevista exclusiva à rede de TV americana Fox Business.

"Estamos enviando uma Marinha. Muito poderosa", afirmou Trump, em referência ao envio do porta-aviões USS Carl Vinson e seu grupo de ataque para águas próximas à Coreia do Norte como mostra de força. "Temos submarinos muito poderosos, muito mais poderosos do que qualquer porta-aviões. Isso é o que eu posso dizer." / EFE e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.