Assad apoia plano de Annan e pede fim de suporte a rebeldes

O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse que a Síria não poupará esforços para garantir o sucesso da missão de paz do enviado internacional Kofi Annan, mas que outros países precisam parar imediatamente de financiar e armar os grupos de oposição, afirmou a mídia estatal nesta quinta-feira.

REUTERS

29 Março 2012 | 14h19

A agência de notícias Sana afirmou que Assad, em uma carta aos líderes dos Brics, teria dito que "países que apoiam os grupos armados com dinheiro e armas precisam ser persuadidos para interromper isso imediatamente".

Os países que formam os Brics são Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

(Reportagem de Dominic Evans)

Mais conteúdo sobre:
SIRIA ASSAD OPOSICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.