1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Ataque sírio mata 18 combatentes estrangeiros do grupo Estado Islâmico

REUTERS

04 Setembro 2014 | 22h 04

Prédio destruído era usado como sede do grupo linha-dura, de acordo com o órgão de monitoramento

George Ourfalian/Reuters
O órgão disse que os ataques sírios fizeram com que 13 pessoas detidas pelos combatentes escapassem durante o caos

Dezoito combatentes estrangeiros do grupo Estado Islâmico, incluindo um jihadista norte-americano, foram mortos em um ataque aéreo sírio numa cidade perto do principal reduto do grupo militante, Raqqa, no leste da Síria, informou um grupo de monitoramento dos direitos humanos nesta quinta-feira.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que monitora a violência em todos os lados do conflito de três anos, disse que fontes confiáveis informaram que importantes líderes do Estado Islâmico que estariam no prédio municipal de Gharbiya no momento do ataque estavam entre os combatentes estrangeiros mortos.

O prédio era usado como sede do grupo linha-dura, de acordo com o órgão de monitoramento.

Outro ataque aéreo na quinta-feira que atingiu uma antiga sede de inteligência na cidade de Abu Kamal, perto da fronteira com o Iraque, que era usada pelo Estado Islâmico, também matou um número não revelado de seus integrantes, disse o grupo de monitoramento.

O órgão disse que os ataques sírios fizeram com que 13 pessoas detidas pelos combatentes escapassem durante o caos.

A Reuters não pôde verificar de forma independente os relatos da Síria, devido às condições de segurança e restrições de informações.

O Estado Islâmico tomou partes do Iraque e da Síria, levando aos primeiros ataques aéreos dos Estados Unidos no Iraque desde a retirada das tropas norte-americanas, em 2011.

(Por Suleiman Al-Khalidi)