Carro bomba explode do lado de fora de base da Otan no Afeganistão

Veículo estava no estacionamento da base em Kandahar; duas pessoas ficaram feridas

AP

26 Maio 2010 | 09h01

KANDAHAR - Um carro bomba explodiu nesta quarta-feira do lado de fora de uma base militar da Otan na maior cidade do sul do Afeganistão, Kandahar, ferindo dois afegãos e destruindo diversos veículos.

 

Esse foi o último de uma série de ataques a alvos da Otan nas últimas duas semanas, depois doe um anúncio do taleban de uma ofensiva de primavera contra a aliança e as forças afegãs - sua resposta à promessa da administração de Obama de banir os militantes da província de Kandahar.

 

A explosão aconteceu por volta das 11:30 do horário local em um estacionamento usado por afegãos que visitam o Campo Nathan Smith na cidade de Kandahar, disse o general Shafiq Fazli, o comandante da polícia para a região sul do Afeganistão. A base abriga algumas centenas de soldados canadenses, juntamente com policiais militares americanos e empregados do governo dos EUA e do Canadá em projetos de desenvolvimento.

 

Fazli disse que ninguém morreu. Um oficial de polícia disse que pelo menos um segurança e um afegão que trabalha na base se feriram. O oficial deu apenas um nome, Khalid.

 

A explosão desta quarta-feira destruiu 11 carros que estavam estacionados no local, juntamente com cerca de 50 motos e mais de uma dúzia de bicicletas, disse o Ministério do Interior em um discurso. A bomba foi colocada num Toyota Corolla no estacionamento, de acordo com autoridades.

 

Ninguém assumiu a autoria do atentado até agora.

 

Por telefonema, pessoas que estavam dentro da base disseram que foram ordenadas a entrar em bunkers, ma que tudo se silenciou depois da explosão. Eles falaram sob a condição de anonimato pois os detalhes do ataque ainda não haviam sido divulgados.

 

A onda de ataques começou em 18 de maio, quando um homem-bomba taleban atacou um comboio da Otan na capital, matando 18 pessoas, incluindo seis membros da organização militar - cinco americanos e um canadense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.