1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Primavera Árabe

Corte civil líbia irá julgar supostos partidários de Kadafi

REUTERS

22 Fevereiro 2012 | 18h 01

Advogados dos réus saudaram a decisão, dizendo que a maioria dos acusados é composta por civis

BENGAZI - Um tribunal militar líbio determinou nesta quarta-feira, 22, que 50 pessoas acusadas de lutarem ao lado do regime de Muamar Kadafi e de ajudarem num fuga carcerária devem ser soltos e submetidos a julgamento por uma corte civil.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

Advogados dos réus saudaram a decisão, dizendo que a maioria dos acusados é composta por civis, e que a corte militar sediada em Bengazi, no leste do país, teria dificuldades para julgá-los.

"Sentimos que esta corte está sob pressão e ... não tem a independência judicial necessária", disse Saleh Omran, advogado de 17 acusados, negando que seus clientes fossem apoiadores de Kadafi.

"Eles ajudaram os prisioneiros a fugir da cadeia porque alguns dos detidos eram seus parentes, e eles estavam protegendo-os. Isso não tem nada a ver com os homens de Kadafi."

Kadafi foi derrubado em uma guerra civil no ano passado, após passar 42 anos no poder. Um governo provisório instalado em novembro tem tido dificuldades para impor a ordem entre os inúmeros grupos armados que participaram da rebelião contra o regime.

As autoridades querem julgar parentes e partidários de Kadafi na própria Líbia, mas ativistas de direitos humanos temem que, diante da fragilidade das instituições no país, os acusados não terão acesso a um julgamento justo.

Os réus são parte de uma milícia que, segundo as autoridades interinas, ajudaram cerca de 300 partidários de Kadafi a fugirem de uma penitenciária em julho.

Primavera Árabe