Documentos revelam que Israel possui armas nucleares, diz 'The Guardian'

Segundo jornal britânico, país ofereceu armamentos para a África do Sul em 1975

estadão.com.br,

23 Maio 2010 | 22h52

SÃO PAULO- Documentos secretos sul-africanos revelam que Israel ofereceu a venda de armas nucleares para o regime do apartheid, segundo o jornal britânico The Guardian. Esta é a primeira prova oficial de que o Estado judeu possui armas nucleares.

 

Veja também:

especialEspecial: Os últimos eventos da crise nuclear

 

As ultra-secretas atas de reuniões entre oficiais dos dois países em 1975 evidenciam que o então ministro de Defesa da África do Sul, PW Botha, solicitou as armas, e Shimon Peres, então colega de Botha e atual presidente israelense, respondeu com uma oferta de armas "em três tamanhos". Os dois também assinaram um acordo militar que deveria permanecer secreto.

 

Os documentos, descobertos por um acadêmico americano, Sasha Polakow-Suransky, em uma pesquisa para um livro sobre a relação entre os dois países, são a primeira evidência de que Israel têm armas nucleares, apesar de sua política de "ambiguidade", que não confirma, nem nega a possessão de tais artefatos.

 

As revelações serão embaraçosas para o governo de Israel, particularmente nesta semana em que discussões sobre não proliferação nuclear em Nova York irão focar no Oriente Médio.

 

Elas também desacreditam Israel, que até então afirmava que, se realmente possuísse tais armamentos, não iria usá-los erroneamente, enquanto países como Irã não seriam confiáveis.

 

Segundo os documentos sul-africanos, o país queria armas nucleares para possíveis ataques a nações vizinhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.