Eleição no Iraque pode levar à retirada de tropas dos EUA--Obama

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse neste domingo que a aprovação de uma lei de eleição longamente adiada no Parlamento iraquiano permitirá a realização de eleições no início do ano que vem e abrirá caminho para a retirada das forças norte-americanas do país.

REUTERS

08 Novembro 2009 | 18h00

A eleição nacional, marcada para janeiro, é vista como um teste crucial para o Iraque, o 11o maior produtor de petróleo do mundo, à medida que o país emerge das matanças sectárias que se seguiram à invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003.

"Este acordo leva adiante o progresso político que pode trazer paz duradoura e unidade ao Iraque e permitir a retirada ordeira e responsável de tropas de combate dos EUA do Iraque até setembro próximo", disse Obama na Casa Branca pouco depois de o Parlamento iraquiano aprovar a lei.

O governo Obama, concentrado em interromper a deterioração da segurança no Afeganistão, está ansioso para finalizar a saída total das tropas no prazo, que se encerra no fim de 2011.

Mencionando a recente onda de atentados que tiraram dezenas de vidas no Iraque, Obama disse que o país enfrentará "dias difíceis" no futuro.

Autoridades norte-americanas vinham pressionando líderes iraquianos para superar suas diferenças e aprovar a lei de eleição o quanto antes, temendo que novos atrasos impedissem a realização do pleito em janeiro.

"Quero parabenizar os líderes do Iraque por alcançar esse acordo. Sua flexibilidade e comprometimento com seu país enviam uma mensagem importante ao mundo sobre a democracia e a unidade iraquiana e aguardo com ansiedade a pronta aprovação dessa lei pelo conselho presidencial do Iraque", disse Obama.

(Reportagem de Ross Colvin, Jasmin Melvin e Lesley Wroughton)

Mais conteúdo sobre:
IRAQUE ELEICAO RETIRADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.