Hamas nega ter testado foguete que alcançaria Tel Aviv

Chefe da inteligência israelense havia denunciado na terça-feira o lançamento do míssil

Efe,

04 Novembro 2009 | 12h41

O movimento islâmico Hamas negou nesta quarta-feira, 4, ter testado um foguete de 60 quilômetros de alcance que poderia chegar à cidade de Tel Aviv, como um oficial do Exército havia informado um dia antes ao Parlamento israelense.

 

"As afirmações de que testamos foguetes são falsas. A informação é propaganda provocativa", afirmou um porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri, em comunicado divulgado à imprensa.

 

O desmentido de Zuhri acontece depois que o chefe da direção de inteligência militar israelense, general-de-brigada Amos Yadlin, informou na terça-feira ao Comitê de Defesa e Assuntos Exteriores da Knesset (Parlamento israelense) de que o Hamas tinha feito um teste bem-sucedido do lançamento de um foguete de longo alcance no mar.

 

Segundo Zuhri, as declarações de Yadlin "têm como objetivo perturbar o debate sobre a apresentação do relatório (Goldstone) da ONU sobre a ofensiva israelense em Gaza na Assembleia Geral de Nova York". O relatório acusava tanto Israel quanto o Hamas de crimes de guerra durante os 22 dias de duração da ofensiva, na qual mais de 1,4 mil palestinos (em sua maioria civis) e 13 israelenses morreram.

 

Em outubro do ano passado, o Conselho de Direitos Humanos da ONU, que deu sinal verde para que o relatório fosse levado ao Conselho de Segurança da ONU e, eventualmente, ao Tribunal Penal Internacional de Haia, caso as partes não realizem uma investigação independente sobre os fatos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.