EFE|EPA|JAMAL TARAQAI
EFE|EPA|JAMAL TARAQAI

Homens-bomba atacam igreja no sudoeste do Paquistão

Ataque foi na cidade de Quetta, mais de 400 pessoas estavam na igreja; ao menos nove pessoas morreram

O Estado de S.Paulo

17 Dezembro 2017 | 08h38

QUETTA/ISLAMABAD - Dois terroristas suicidas atacaram uma igreja cristã no sudoeste do Paquistão neste domingo, 17, matando ao menos nove pessoas e ferindo até 56 antes que um deles se incendiasse e a polícia matasse o outro, disseram autoridades.

Os homens armados usavam coletes cheios de explosivos e invadiram a igreja na cidade de Quetta que acabara de abrir, explodindo os coletes suicida e atirando contra os frenquentadores cristãos, disse Sarfraz Bugti, o ministro da Casa da província do Baluchistão. Os guardas da igreja trocaram tiros com os atacantes antes de entrarem no santuário principal, disse o chefe da polícia provincial, Moazzam Jah.

Segundo o chefe de polícia, duas mulheres estavam entre as pessoas mortas. "Havia quase 400 pessoas dentro da igreja, mas os atacantes não conseguiram entrar nos serviços", disse Jah. "Nós matamos um deles, e o outro explodiu depois que a polícia o feriu", disse ele. Jah disse que o local - Igreja Metodista Memorial de Bethel - estava em alerta, pois os lugares de culto cristãos eram frequentemente alvo de extremistas islâmicos durante o Natal.

Outro oficial da polícia, Abdur Razaq Cheema, disse que dois atacantes escaparam da cena. Ninguém assumiu a responsabilidade. O baluchistão tem sido o cenário de uma insurgência de separatistas lutando contra o Estado para exigir mais de uma parcela dos recursos da região rica em gás e minerais. Eles também acusam o governo central de discriminação.

Militantes islâmicos e grupos sectários talibãs e sunitas, ligados à Al Qaeda e ao grupo do Estado islâmico, também operam na região estrategicamente importante, que limita o Irã e o Afeganistão. A violência alimentou a preocupação com a segurança dos projetos no Corredor Econômico do Paquistão, uma via de transporte e energia planejada para correr do oeste da China para

Porto de águas profundas do sul do Paquistão, em Gwadar.

No começo deste mês, três homens-bomba do Talibã atacaram uma faculdade de agricultura no noroeste da cidade de Peshawar, matando oito estudantes e um guarda./Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.