Irã rejeitará negociação nuclear liderada pelos 'arrogantes' EUA

Ali Khamenei, líder máximo do país, disse que acordos com resultado imposto por americanos não serão aceitos

Reuters e Efe,

03 Novembro 2009 | 10h37

O líder supremo da Revolução Iraniana, o aiatolá Ali Khamenei, afirmou nesta terça-feira, 3, que o Irã rejeitará qualquer negociação nuclear liderada pelos Estados Unidos na qual os americanos tentem impor suas condições.

 

Veja também:

link País proíbe ato opositor nos 30 anos da tomada de embaixada

 

Em discurso para um grupo de estudantes, a máxima autoridade do Irã explicou que um diálogo nessas condições seria "como a relação de poder entre o lobo e o cordeiro".

 

"Não queremos negociação alguma na qual o resultado seja ditado com adiantamento pelos EUA", disse Khamenei, citado pela agência oficial de notícias Irna.

 

O Irã anunciou na semana passada que estaria disposto a aceitar uma proposta de EUA, França e Rússia para enriquecer seu urânio no exterior, mas fez uma série de ressalvas.

 

Além disso, pediu uma nova reunião e sugeriu o estabelecimento de um comitê que estude a questão para esclarecer algumas dúvidas sobre o processo técnico.

 

No entanto, a comunidade internacional insiste que não está disposta a esperar mais e na segunda-feira, 2, aumentou sua pressão ao exigir ao do Irã uma resposta rápida e clara.

 

"O governo americano é uma potência realmente arrogante e a nação iraniana não será enganada por sua conduta aparentemente reconciliadora, até que os EUA abandonem sua atitude arrogante", afirmou Khamenei.

 

Os EUA e o Irã romperam laços diplomáticos em abril de 1980, poucos meses depois de um grupo de estudantes invadirem a embaixada americana em Teerã e reterem 52 pessoas durante 444 dias. A tomada da embaixada faz 30 anos na quarta-feira, 4.

Mais conteúdo sobre:
irã nuclear energia acordo urânio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.