Reprodução
Reprodução

Israel e Hamas estão perto de troca de prisioneiros por Shalit

Soldado israelense está sob custódia de militantes palestinos desde 2006; acordo deve sair ainda nesta semana

Agência Estado, Associated Press e Reuters,

23 Novembro 2009 | 12h33

O governo de Israel e o Hamas estão perto de um acordo para trocar mil prisioneiros palestinos pelo soldado israelense Gilad Shalit, segundo disse nesta segunda-feira, 23, um palestino familiar com as negociações. "O episódio de Shalit está próximo do fim", revelou a fonte.

 

Veja também:

linkIsrael liberta presas palestinas em troca de vídeo de soldado

 

Shalit é refém de militantes há mais de três anos. O israelense foi capturado próximo da Faixa de Gaza em 2006. Segundo Israel, a libertação do soldado levará a abrandamentos nos bloqueios que o país mantém sobre a Faixa de Gaza.

 

O presidente de Israel, Shimon Peres, confirmou que houve progressos nas conversas de troca de prisioneiros, disse uma porta-voz nesta segunda-feira. Uma alta delegação do Hamas, liderada por Mahmoud Zahar e com outros dois importantes membros do grupo, cruzou a fronteira da Faixa de Gaza até o Egito, nesta segunda-feira, para as negociações, que são mediadas por egípcios e alemães.

 

A fonte palestina, pedindo anonimato, disse que as conversas entre os palestinos e mediadores alemães podem resultar em um acordo até o fim de semana. Já fontes citadas pelo jornal israelense Haaretz disseram que pode haver um acordo até o meio da semana que vem.

 

O Haaretz informa, em seu site, que há um único prisioneiro palestino que seria o ponto de discórdia entre os dois lados. Segundo o site do diário, os israelenses não estão dispostos a libertar esse detento. O Haaretz atribui a informação a um membro do Hamas, citado pelo jornal oficial do grupo, A-Risala. O nome do preso não foi divulgado.

 

Em meio as especulações em torno do acordo, os pais de Shalit se reuniram com o chefe das negociações por parte de Israel para saber dos detalhes. No dia 2 de outubro, os israelenses libertaram 20 prisioneiras palestinas em troca de um vídeo que provava que o soldado estava vivo.

Mais conteúdo sobre:
Gilad Hamas Palestina Israel prisioneiros Shalit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.