Israel fecha estradas para Palestina no ano novo hebraíco

Medida é comum durante as festividades judaicas e permanece até a próxima sexta-feira

Efe,

12 Setembro 2007 | 09h26

O Exército israelense fechou todos os acessos de Cisjordânia e Gaza a Israel, antes do início dos festejos do Ano Novo hebraico 5768, até o fim das celebrações, na próxima sexta-feira.   Veja também:  Foguetes disparados por palestinos causam incêndios em Israel As medidas são freqüentes durante as festividades judaicas e afetam parcialmente milhares de palestinos que trabalham em Israel. Alguns analistas esperavam uma operação em grande escala em Gaza ou punições coletivos à população, como cortes no fornecimento de água potável, combustíveis e eletricidade. Mas o governo se limitou a autorizar o Exército a intensificar suas breves incursões para combater os milicianos palestinos. A celebração do Ano Novo é um dos motivos pelos quais, segundo analistas da imprensa, Israel se absteve de responder ao ataque palestino de terça-feira contra a base militar de Zikim, perto de Gaza, onde ficaram feridos 69 soldados. Outro motivo para a contenção seria a tensão entre Israel e Síria nos últimos meses. O cenário piorou na semana passada, devido à violação do espaço aéreo sírio por aviões de combate israelenses. O governo do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, mantém absoluto silêncio sobre o incidente. A Jihad Islâmica e os Comitês Populares da Resistência, em Gaza, assumiram a autoria do ataque à base militar. Cerca de 40 recrutas feridos na madrugada de terça continuam hospitalizados. Nesta quarta, os soldados deveriam concluir seu período de treino, com a festa do Ano Novo, informaram fontes militares.

Mais conteúdo sobre:
Israel Gaza ano novo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.