1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Kerry e chanceleres se reúnem para conversas nucleares com Irã em Viena

LOUIS CHARBONNEAU - REUTERS

10 Julho 2014 | 17h 57

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e chanceleres das seis potências que negociam com o Irã a respeito do seu programa nuclear viajarão a Viena no fim de semana para ajudar a romper o impasse nas conversas, informou um funcionário ocidental de alto escalão nesta quinta-feira.

"Posso dizer a vocês que Kerry estará neste fim de semana, provavelmente no sábado", disse a autoridade à Reuters sob anonimato.

Kerry agendou encontros bilaterais com os ministros no domingo, afirmou ele, e outro diplomata confirmou os planos de viagem. Uma fonte diplomática da França disse que seu ministro de Relações Exteriores, Laurent Fabius, chegará no domingo para as conversas.

O Irã e as potências – EUA, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Rússia e China – almejam obter um acordo de longo prazo para encerrar o impasse de uma década até o prazo de 20 de julho. Muitos diplomatas e analistas acreditam que uma ampliação pode ser necessária devido às grandes desavenças nas negociações.

No começo desta semana, diplomatas familiarizados com as conversas disseram que os ministros podem acabar negociando os termos de uma ampliação do prazo em Viena. O objetivo é chegar a um entendimento segudo o qual o Irã contenha seu programa nuclear em troca de uma suspensão gradual das sanções.

As conversas recomeçaram na semana passada, sem sinais de progresso palpável nos principais tópicos, entre eles o enriquecimento de urânio, a duração de qualquer acordo e o ritmo da suspensão das sanções.

O funcionário ocidental disse ser improvável que os ministros estejam indo a Viena para assinar um acordo, dadas as diferenças significativas entre as partes sobre o alcance aceitável do futuro programa de enriquecimento de urânio de Teerã.

Autoridades francesas afirmaram que Fabius estava relutante em ir a Viena muito antes do prazo de 20 de julho, a menos que houvesse sinais de um avanço. Nesta quinta-feira, o Ministério russo das Relações Exteriores declarou que as conversas em andamento estão difíceis, mas expressou esperança de se obter um acordo dentro do prazo.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta quinta-feira que seu país precisará reforçar sua capacidade de enriquecimento de urânio no longo prazo, destacando uma desavença nas posições, mas possivelmente sinalizando com alguma flexibilidade no curto prazo.

(Reportagem adicional de Justyna Pawlak, em Bruxelas; de Gabriela Baczynska, em Moscou; de Fredrik Dahl, em Viena; e de John Irish, em Paris)