Líbia diz que imigração ilegal para Itália foi reduzida em 90%

A Líbia diminuiu em 90 por cento o número de imigrantes africanos que tentam chegar até a Europa ilegalmente por mar desde que fechou um acordo com a Itália no início deste ano, disse o ministro do Interior líbio, Salah Rajab al-Masmari, nesta segunda-feira.

REUTERS

09 Novembro 2009 | 19h20

A Itália assinou um acordo de cooperação com sua ex-colônia norte-africana em fevereiro para conter a imigração ilegal no Mediterrâneo criando patrulhas conjuntas.

"Estamos felizes em dizer que somos capazes de cumprir nossos compromissos com o lado italiano ao reduzir a imigração ilegal em cerca de 90 por cento e ao desmantelar e prender gangues criminosas de traficantes de pessoas", disse a agência de notícias estatal Jana, citando Masmari.

Sob o acordo, os imigrantes ilegais pegos pelas autoridades italianas são devolvidos à Líbia antes de serem enviados de volta a seus países de origem. A Líbia é um ponto de saída popular para os imigrantes africanos que tentam chegar na Europa.

Masmari deu a declaração durante um encontro em Trípoli de autoridades da área da segurança com seu colega italiano, Roberto Maroni.

A União Europeia ofereceu à Líbia 20 milhões de euros para que o país africano ajudasse o bloco a lidar com o fluxo de imigrantes ilegais e reforçasse seus controles nas fronteiras.

(Reportagem de Lamine Ghanmi)

Mais conteúdo sobre:
LIBIA IMIGRACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.