Vahid Salemi/AP
Vahid Salemi/AP

Mães de três americanos presos no Irã chegam ao país para visitar seus filhos

Jovens acusados de espionagem foram presos em julho, quando cruzaram fronteira do Iraque com o Irã

Associated Press,

19 Maio 2010 | 19h17

TEERÃ- As mães de três americanos presos no Irã chegaram no país nesta quarta-feira, 19, e fizeram apelos para a sua libertação, em uma missão que pode ser complicada por tensões diplomáticas sobre o programa nuclear iraniano.

 

As três mulheres devem visitar seus filhos - presos desde julho, na fronteira com o Iraque - e querem se reunir com altos oficiais iranianos. A TV estatal do país afirmou que vistos de uma semana foram concedidos "com base no humanitarismo islâmico".

 

Nora Shourd, Cindy Hickey e Laura Fattal estavam usando longos véus negros quando desembarcaram no principal aeroporto de Teerã. Elas foram recebidas por enviados da embaixada suíça, que representa os interesses americanos no Irã.

 

"Estamos aqui para visitar nossos filhos que não vemos faz dez meses. Nós sentimos muito a falta deles", disse Nora, antes de começar a chorar. "Esperamos tê-los de volta", completou.

 

A chegada das mães ocorre um dia após os Estados Unidos ter afirmado que conseguiu apoio das outras potências para uma quarta rodada de sanções a Teerã por seu programa nuclear.

 

O país acusou Sarah Shourd, 31; seu namorado, Shane Bauer, 27; e seu amigo Josh Fattal, 27, de espionagem e cruzamento ilegal de fronteira. Suas famílias negam as acusações e afirmam que eles entraram em território iraniano sem perceber, quando praticavam montanhismo na região iraquiana do Curdistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.