Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Manifestantes protestam contra visita de Ahmadinejad

Internacional

Manifestantes protestam contra visita de Ahmadinejad

No Rio, cerca de mil pessoas participaram de ato de 23 organizações da sociedade civil, 15 delas judaicas

0

ADRIANA CHIARINI,
Agência Estado

03 Maio 2009 | 14h31

Sob o mote "Sr. presidente, explique ao convidado", cerca de mil manifestantes protestaram neste domindo, 3, na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, na zona sul do Rio, contra a visita ao Brasil, na próxima quarta-feira, do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Os participantes alternaram a frase com gritos de "direitos humanos", "mulheres são livres", "homofobia é ignorância", "liberdade de religião", "terrorismo é covarde", "o holocausto existiu", e "o Estado de Israel existe". Vários usavam camisetas ou adereços com alusões às bandeiras do Brasil e de Israel.

 

Foto: Marcos D' Paula/AE

O protesto foi uma iniciativa de 23 organizações da sociedade civil, 15 delas judaicas. Também participaram associações de direitos humanos, homossexuais, ciganos, religiões afro-brasileiras e mulheres negras, entre outras.

 

No último dia 20, o líder iraniano discursou pedindo o fim do Estado de Israel em conferência da Organização das Nações Unidas contra o racismo, em Genebra. O discurso, em que o presidente também disse que o Holocausto não existiu, foi criticado em nota oficial do governo brasileiro, que, no entanto, manteve o convite a Ahmadinejad por propósitos econômicos.

 

Foto: Marcos D' Paula/AE

"Quero dizer para todos os democratas que não concordamos com o que o embaixador do Irã (no Brasil, Mohsen Shaterzadeh) disse, que o nosso presidente tem afinidades com Ahmadinejad. Nosso presidente é contra o terrorismo e reconhece o Holocausto", disse um dos organizadores do evento, Jaime Gudel, que perdeu grande parte da família no Holocausto. Shaterzadeh tinha destacado em entrevista à BBC supostas "ideias semelhantes no sentido de criar uma nova ordem mundial" por parte dos dois presidentes.

 

Em São Paulo, a comunidade judaica também convocou para este domingo uma concentração para protestar contra a recepção oficial a Ahmadinejad, que põe em dúvida o Holocausto e nega o direito de Israel a existir. Os maiores protestos devem acontecer em Brasília, coincidindo com a chegada do presidente do Irã, que durante a Conferência, há cerca de um mês, sobre racismo de Genebra acusou Israel de "regime racista" e de usar o usar politicamente o Holocausto.

 

(Com Efe)

Mais conteúdo sobre: