Manish Paudel/ AP
Manish Paudel/ AP

Pelo menos 40 morreram e milhares estão desabrigadas após inundações e deslizamentos no Nepal

Apenas nos últimos três dias foram registradas 34 vítimas fatais e outras 36 desaparecidas no país; Índia também sofre com tempestades

O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2017 | 11h54

Deslizamentos de terra e inundações causadas por fortes chuvas já mataram dezenas de pessoas e deixaram milhares desabrigadas no sul do Nepal, neste mês, de acordo com diversas autoridades locais. Até o momento, o número de vítimas e desaparecidos é incerto.

De acordo com Pushkar Karki, porta-voz da polícia, 47 pessoas morreram e outras duas dúzias ainda não foram localizadas. A Cruz Vermelha do Nepal, por outro lado, conta 53 mortos. Outro balanço oficial reporta 49 vítimas fatais. Segundo fontes governamentais citada pela agência de notícias Efe, desde sexta-feira, 34 pessoas morreram e outras 36 estão desaparecidas. 

Cerca de 31 mil famílias foram deslocadas devido às inundações e aos deslizamentos, segundo a polícia. A corporação afirmou que o nível das águas superou postes de telefones e linhas de distribuição de energia elétrica, cortando a comunicação e a eletricidade em diversas localidades. 

Trabalhos de resgate foram travados pela chuva incessante. O tráfego na principal estrada que liga as regiões leste e oeste do país foi interrompido após algumas partes dela ficarem gravemente danificadas ou foram até carregadas pela enxurrada. 

Em Biratnagar, cidade ao leste do país, o aeroporto foi fechado depois que a pista de decolagem ficou coberta por mais de meio metro de água. 

Deslizamentos e inundações são comuns na região durante a temporada de monções, que acontece de junho a setembro. O Departamento de Hidrologia e Meteorologia do Nepal alertou que as precipitações persistirão até segunda-feira, 14, nas regiões central e oeste do país. "Pedimos à população que permaneça alerta e em locais seguros", declarou o diretor geral do organismo, Rishi Ram Sharma.

Elefantes ajudam no resgate. No Parque Nacional de Chitwan, um dos principais destinos das viagens ao Nepal, cerca de 600 turistas seguiam ilhados até este domingo. Alguns hotéis transferiram seus hóspedes para acomodações em pisos superiores, para evitar os efeitos das inundações. O gerente de uma hospedaria explicou que teve de usar elefantes para evacuar alguns clientes até a rodovia principal mais próxima, para que eles pudessem chegar até a capital, Katmandu. 

Índia. Na vizinha Índia, os socorristas tentavam chegar a dois ônibus que haviam sido arrastados por uma avalanche de terra até um precipício. Os dois veículos efetuaram uma parada à meia noite de sábado, 12, em Himachal Pradesh, Estado montanhoso do norte do país, quando o deslizamento de rochas e barro os levou. 

De momento, 17 corpos foram encontrados no local do acidente, indicou Sandeep Kadam, responsável local. Ainda assim, dezenas de pessoas seguiam desaparecidas no fundo do barranco, enquanto soldados e socorristas tratavam de chegar ao local. 

"Um trecho de 200 metros de uma estrada nacional foi arrastado com dois ônibus e tememos que mais de 50 pessoas ficaram soterradas" embaixo dos escombros, explicou o coronel Aman Anand, porta-voz do exército indiano. / EFE, AP E REUTERS

Mais conteúdo sobre:
nepal india Índia [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.