Reuters
Reuters

Primeiro-ministro do Líbano diz que teme pela sua vida e renuncia

Em pronunciamento na TV, Saad Hariri decidiu sair do governo por medo das tensões regionais

O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2017 | 10h22

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, anunciou neste sábado, de forma inesperada, sua renúncia do cargo após retornar de uma viagem à Arábia Saudita.

Em pronunciamento televisionado neste sábado, Hariri acusou o Irã e o Hezbollah no Líbano de interferir em assuntos árabes. "O exército do Irã na região precisa ser removido", disse Hariri.

Em seu discurso, Hariri indicou que temia por sua vida e disse que a atmosfera no país é similar à época antes de seu pai, o falecido ex-primeiro-ministro Rafik Hariri, assassinado em 2005.

Ele assumiu o posto de primeiro-ministro no fim de 2016 e seu gabinete era composto por 30 membros, inclusive com um militante xiita do Hezbollah. O governo foi bem sucedido em proteger o Líbano dos efeitos da guerra civil na Síria. A renúncia deve elevar as tensões no país neste sábado. (Com Agência Estado e Associated Press)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.