Aprendendo a blogar

adrianacarranca

17 Julho 2007 | 14h03

Difícil essa coisa de escrever blog! Repórteres não estão acostumados a emitir opinião própria. Pelo contrário, somos treinados a ouvir todos os lados de uma história e reportá-los com isenção e imparcialidade. Exceto, é claro, nas chamadas colunas de opinião. Não que eu, pessoalmente, acredite que isso seja sempre possível, afinal, somo todos humanos, cada qual com uma bagagem cultural e uma ética diferentes. É muito difícil, por exemplo, reportar sobre tortura ou corrupção sem tomar um dos lados, para dizer o mínimo. Mas, no geral, a regra é mais ou menos assim, como eu costumo brincar: “eu não acho nada”, entrevisto “quem acha” e reporto sobre o que “eles acham”. Assim, ao tentar escrever minhas próprias impressões sobre a viagem me deu uma insegurança imensa. Medo mesmo. Medo de ser preconceituosa ao retratar como foi difícil para mim ser obrigada a usar o véu islâmico durante os dias em que passei no Irã. Ao dividir com o leitor a minha surpresa em descobrir nos Emirados Árabes Unidos um povo alegre e receptivo – e por que não seriam? Ou ao falar sobre a pobreza gritante do Egito sem o suporte de estudos e especialistas, como seria de se esperar de um repórter de jornal. Amigos aqui do Estadão me sugeriram dividir a preocupação com o leitor. Então, aqui está. Conto com vocês para promover a troca de informações e o debate. Afinal, já aprendi, um blog é feito a muitas mãos. Mas, eu precisava fazer essa confissão antes. Acho que, agora, posso blogar em paz.