Carrie Bradshaw, o cigarro saiu de moda!

Carrie Bradshaw, o cigarro saiu de moda!

adrianacarranca

29 de agosto de 2007 | 20h16

Quando começou o movimento para banir o cigarro em ambientes fechados, muitos frequentadores de bares e casas noturnas, onde mesmo fumantes não habituais arriscam-se a dar pitadas, protestaram. Houve quem dissesse que o mundo estava ficando chato, com tantas regras – bares fechando à 1h para evitar baderna na madrugada, mais restrições à venda de bebidas e, em seguida, ao cigarro. Carry Bradshaw, a personagem fashionista de Sarah Jessica Parker em Sex & The City, chegou a fazer apologia ao cigarro no episódio gravado em Paris (foto), onde os recintos gastronômicos são os mais esfumaçados do mundo!

Eu confesso que não tinha opinião formada sobre bares e boates até ver os seguintes dados: o Departamento de Saúde de Nova York estima que o risco de desenvolver câncer é 50% maior entre garçons e bartenders da cidade. Em um turno de 8 horas, eles inalam uma quantidade de substâncias tóxicas equivalente ao consumo de meio maço de cigarros. Outra pesquisa, nacional, apontou que o fumante passivo tem entre 25 e 30% mais chances de desenvolver doenças cardíacas e 20 a 30% mais probabilidade de ter câncer nos pulmões do que os não-fumantes nos Estados Unidos. Eles estimam que 65 mil mortes por ano estejam associadas à absorção passiva da fumaça do cigarro.

Por estes e outros motivos, o charme das noites esfumaçadas é coisa do passado em Nova York e Londres. Em Paris, restaurantes, bares e boates têm até fevereiro para se adaptarem às novas regras. No Brasil, uma lei federal de 1996 (9.294/96) proíbe o consumo de cigarro em locais fechados, mas é constantemente violada em bares e casas noturnas (oh, gente, pelo menos pensem nos pobres garçons e bartenders!).

Nem Audrey Hepburn pode alegar que não sabia – segundo o site espanhol Nicotinaweb, em 1600, o filósofo chinês Fang já dizia que fumar tabaco queimava os pulmões. O filme Bonequinha de Luxo foi lançado em 1961.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.