Casamento egípcio

Casamento egípcio

adrianacarranca

03 de setembro de 2007 | 23h51

A caminho do Irã, faço uma parada no Egito, para o casamento de uma amiga. Uma viagem com ela ao país, em 2004, despertou em mim o interesse pela região. Pude ver, pela primeira vez, como a imagem que se retrata do Oriente Médio é distante da complexa realidade local. Ela é uma jovem muçulmana moderna, culta, independente. Três meses antes de se casar, desembarcou em Genebra para coordenar, a convite das Nações Unidas, a conclusão de um relatório sobre direitos humanos no Iraque. Mantém amigos no mundo inteiro, inclusive nos Estados Unidos, e conversa sobre tudo o que garotas e garotos falam. Dispensa o véu islâmico, não obrigatório no Egito, mas, nem por isso abre mão da tradição e da religião em que foi criada. Casou-se como manda o Alcorão. A igualdade de direitos que buscam as mulheres islâmicas não significa que querem ser iguais às ocidentais.


Foto: “festa da henna”, espécie de despedida de solteira, em versão muito “light” e realizada em família. Só para mulheres, é claro!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.