Com vocês, o humanitário da década!

adrianacarranca

17 de dezembro de 2009 | 21h46

Os leitores votaram e chegamos a 15 finalistas para a categoria Humanitário da Década. Obrigada a todos os que contribuiram com essa lista, da qual muito me orgulho. Traz gente de diversas áreas, condições econômicas diferentes e contribuições distintas, mas todas elas muito importantes, para o desenvolvimento das cidades e nações e o aprimoramento dos seres humanos.

Leia abaixo o perfil dos finalistas (aqui, em ordem alfabética). Agora é com vocês! Votem aqui.

Amartya Sen – Vencedor do Prêmio Nobel de Economia em 1998. Criou o Índice de Desenvolvimento Humano, que substituiu a renda per capita como um indicador de qualidade de vida por uma combinação de indicadores que inclui também expectativa de vida e educação. Fez considerações importantes sobre a análise da pobreza, levando em conta diferentes aspectos de cada sociedade, além de outras contribuições para o entendimento do desenvolvimento social, humano e econômico.

Antônio Augusto Cançado Trindade – Jurista brasileiro com larga contribuição na área de direito humanitário internacional e dos direitos humanos. Presidiu a Corte Interamericana de Direitos Humanos, da Organização dos Estados Americanos (OEA), ao longo de dois mandatos (1999-2004), onde ficou conhecido por dar mais espaço aos cidadãos, relativizando o predomínio absoluto dos Estados. Ocupa desde 2008 uma das 15 vagas da Corte Internacional de Justiça, em Haia, na Holanda. Foi eleito com o maior número de votos nos 79 anos de história da instituição, onde defende uma mudança ética e moral à visão conservadora adotada desde a fundação, em 1920.

Bono Vox – Líder da banda de rock irlandesa U2. Usa a sua imagem e poder de influência para levantar fundos para causas sociais e divulgar campanhas, como a que liderou pelo perdão da dívida externa dos países pobres. Concorreu ao Prêmio Nobel da Paz em 2003 e em 2006.

Dagmar Garroux, a tia Dag – Educadora, fundou há 15 anos a organização Casa do Zezinho, no Capão Redondo, extremo sul de São Paulo, que oferece cursos de informática, arte, música, inglês, capoeira, dança, teatro, reciclagem de papel e capacitação para crianças e adolescentes. Esse ano, o projeto foi levado para o Morro da Grota, uma das doze favelas do Complexo do Alemão, no Rio.

Dorothy Stang – Missionária americana assassinada no Pará, aos 73 anos, em fevereiro de 2005. Dorothy lutava pela melhoria da qualidade de vida e o direito de camponeses à terra na região de Anapu, apesar das constantes ameaças de fazendeiros e madeireiros.

Flordelis – Professora da rede pública e ativista social da favela do Jacarezinho, no Rio. Começou abrigando, em sua própria casa, crianças e adolescentes que ela convencia a deixar o tráfico de drogas. Em 1994, acolheu os 37 meninos de rua que escaparam de uma chacina na Central do Brasil. Sua vida é contada no filme “Flordelis – basta uma palavra para mudar”, de Marco Antonio Ferraz e Anderson Correa, lançado em outubro.

Pd.Jaime Crowe – Atua há mais de duas décadas na região pobre do Jardim Ângela, zona sul de São Paulo, com mais de 350 mil habitantes. À frente da Sociedade Santos Mártires, organização sem fins lucrativos, fundou o Fórum em Defesa da Vida, que reúne 250 movimentos sociais. Entre outras ações, organiza desde 1995 os Tribunais Populares, em que a Prefeitura é colocada no banco dos réus e julgada pela população local, com intermediação de representantes do Ministério Público, o que já rendeu ações civis públicas contra as secretarias municipais por negligência, pela falta de equipamentos públicos no bairro. O Fórum já conseguiu levar ao bairro o Hospital M’Boi Mirim, um Batalhão da Polícia Militar e bases comunitárias, o que fez reduzir os índices de violência.

Jeffrey Sachs – Economista americano, autor de O Fim da Pobreza. É diretor do Earth Institute, da Universidade Columbia, em Nova York, e consultor especial da ONU para políticas de combate à pobreza. Em 2006, foi considerado pela revista Time uma das cem pessoas mais influentes do mundo.

José Junior e Evandro João da Silva (em memória) – José Junior fundou há 16 anos o Grupo Cultural AfroReggae, que promove ações socioculturais e tem 72 projetos em andamento, entre os quais 13 SubGrupos culturais de música, circo e teatro. Atua em áreas de risco, na mediação de conflitos e no resgate da cidadania de jovens envolvidos com o narcotráfico. Evandro era o coordenador da equipe técnica social do AfroReggae. Ele foi assassinado em um assalto, em 18 de outubro, aos 42 anos.

D. Luiz Flávio Cappio – Bispo da diocese da Barra (BA), fez greves de fome contra a transposição do Rio São Francisco, que irá levar suas águas para as bacias hidrográficas do Ceará, do Rio Grande do Norte, da Paraíba e do agreste de Pernambuco. A última delas, em 2007, durou 24 dias. Ele não conseguiu evitar as obras, iniciadas esse ano, mas sua luta é considerada vitoriosa por ter obrigado o governo federal a incluir no projeto obras de revitalização do rio, a construção de cisternas e o tratamento de esgoto dos municípios ribeirinhos.

Muhammad Yunus – Economista nascido em Bangladesh, onde criou o Grameen Bank, considerado o maior banco de microcrédito do mundo, com 7,5 milhões de clientes, 28 mil empregados e mais de US$ 1 bilhão concedidos em empréstimos por ano. Apelidado de “banqueiro dos pobres”, recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2006.

Noam Chomsky – Filósofo, pensador e professor de linguística americano, defensor da Justiça e liberdade e crítico feroz de toda forma de opressão e poder – do comunismo soviético ao liberalismo norte-americano. É autor de dezenas de livros, entre os quais Human Rights and Foreign Policy, lançado em 1978, O Lucro ou as Pessoas? – Neoliberalismo e Ordem Global, e 11 de Setembro.

Sergio Vieira de Mello – Representante da Organização das Nações Unidas (ONU) no Iraque, onde foi morto, aos 55 anos, em um atentado à bomba contra a sede da instituição, em Bagdá, em agosto de 2003. Desde 1969 na ONU, Vieira de Mello teve papel essencial nas negociações diplomáticas em conflitos como Líbano, Bósnia e Ruanda, e por cinco meses governou o Timor Leste, após a independência.

Sting – Roqueiro inglês, fundou a organização internacional Rainforest Foundation, em 1989, que atua pela proteção das florestas e dos povos nativos. No Brasil, o cantor tem histórico de militância em defesa dos índios da Amazônia.

Zilda Arns Neumann – Médica pediatra e sanitarista, de 75 anos, fundadora da Pastoral Da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa. Presente em todos os estados do Brasil e em mais 20 países, a Pastoral da Criança tem mais de 240 mil voluntários capacitados atuando em 40.853 mil comunidades em 4.016 municípios. Acompanha quase 95 mil gestantes e mais de 1, 6 milhão de crianças pobres menores de seis anos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.