Era uma vez…

Era uma vez…

adrianacarranca

07 de outubro de 2010 | 20h46

Que país é esse? 

 

Ok, talvez o fato de que as mulheres estejam com os cabelos cobertos – hijab – na última imagem tenha denunciado tratar-se de um país muçulmano. Mas não pude acreditar, quando li o artigo Era Uma Vez no Afeganistão, na revista Foreign Policy, de que se tratava realmente do Afeganistão. As fotos acima foram reunidas pelo afegão Mohammad Qayoumi, da California State University. Ele cresceu em Cabul até ir estudar nos Estados Unidos, em 1978, um ano antes da invasão soviética. 

As imagens não retratam, certamente, o mesmo Afeganistão de hoje, tampouco aquele que eu conheci, em 2008. O Afeganistão já foi uma nação moderna. Isso, antes da invasão russa e da insurgência patrocinada pela C.I.A., que armou os mujahedin, criou Osama Bin Laden e resultou em uma guerra civil tão sangrenta que levou os afegãos a acreditarem que até o Talebã seria melhor do que aquilo. E foi essa a série de eventos que transformou o Afeganistão acima neste:   

    

 O triste é que, com uma população extremamente jovem, graças à expectativa de vida dos afegãos ser de apenas 42 anos e à alta taxa de natalidade, a memória de um Afeganistão moderno, desenvolvido e com tamanho potencial vem se perdendo, ano a ano, nessas últimas três décadas de guerra. É como se todo o país tivesse voltado, num túnel do tempo, para uma era  medieval. A guerra destruiu até a rede elétrica, fez com que as famílias se escondessem em vilarejos remotos, sem contato com a civilização. Muitos dos jovens de até 30 anos nunca viu televisão, não conhecem outro mundo. Eles nasceram e cresceram num país em guerra e não sabem o que é viver em paz!

Follow AdrianaCarranca on Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.