Israel matou civis que acenavam com “bandeira branca”, diz a HRW

Israel matou civis que acenavam com “bandeira branca”, diz a HRW

adrianacarranca

14 de agosto de 2009 | 16h26

Durante ofensiva de Israel em Gaza, em dezembro, soldados israelenses atiraram contra civis palestinos que acenavam com bandeiras brancas, matando onze deles, disse, ontem, a organização internacional Human Rights Watch (HRW). O relatório de acusação, com 63 páginas, tem base em investigações e entrevistas conduzidas em sete localidades de Gaza e inclui evidências como laudos médicos que sugerem como as vítimas foram mortas e depoimentos de testemunhas.

As Forças de Defesa de Israel não responderam aos pedidos da HRW por uma reunião para discutir as mortes.

Durante toda a ofensiva, foram mortos 1.100 palestinos. O governo de Israel diz que eles eram usados como escudos humanos por combatentes do Hamas. Em seu relatório, a HRW revela “não ter encontrado qualquer evidência de que estes civis teriam sido usados como escudos humanos ou atingidos no fogo cruzado entre os soldados israelenses e as forças de oposição”. A organização afirma que as áreas onde ocorreram as 11 mortes não eram de combate.

*

Um dos casos do relatório traz a história de duas mulheres e três crianças que estavam na frente de casa, no leste de Jabalya, quando um soldado israelense abriu fogo contra eles, matando duas meninas, de 2 e 7 anos.

*

A morte deliberada de civis é crime de guerra.

*

Leia mais no site da HRW (em inglês).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.