Site de jornalismo independente vence Pulitzer Prize

Site de jornalismo independente vence Pulitzer Prize

adrianacarranca

13 de abril de 2010 | 15h30

Para uma jornalista, como eu, é uma supresa maravilhosa saber que um site de notícias independente e sem fins lucrativos, o ProPublica, tenha não apenas encontrado um meio de sobrevivência como chegado tão longe quanto um Pulitzer Prize, um dos mais prestigiados prêmios de comunicação do mundo. Melhor ainda que a iniciativa tenha surgido em solo americano, onde a imprensa não é exatamente independente – se não por interesses econômicos e políticos, por uma visão preconcebida de como o mundo deve ser e funcionar.

memorial

A reportagem vencedora da categoria jornalismo investigativo, The Deadly Choices at Memorial, é resultado de dois anos de investigação e 140 entrevistas conduzidas pela repórter e escritora em saúde, formada em medicina, Sheri Fink.

Sheri remonta as cenas do caos dentro do Memorial Medical Center, em Nova Orleans, logo após a passagem do Furacão Katrina, quando médicos e enfermeiras surpreendidos pela tragédia em um hospital sem eletricidade, água ou condições de atender a todos os feridos, que chegavam aos milhares, improvisaram sua própria estratégia de triagem. A reportagem traz confissões dramáticas de médicos que praticaram deliberadamente a eutanásia naqueles dias de terror, aplicando a alguns pacientes em favor de outros doses letais de drogas.

Por influência da reportagem, os Estados Unidos reabriram o processo de investigação sobre a morte de um dos pacientes citados e aprovaram lei com novas diretrizes para a atuação de médicos e enfermeiros surpreendidos em grandes tragédias.

Para quem lê em inglês, aqui está o link para a reportagem The Deadly Choices at Memorial, publicada pela revista do The New York Times, além do site do ProPublica.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.