Obama em Durban? Só em vídeo…

Afra Balazina

07 de dezembro de 2011 | 18h01

Os Estados Unidos levaram ontem um prêmio ao contrário, o Fóssil do Dia, por não querer negociar na COP-17 um acordo global com força de lei e tentar postergar as discussões para a próxima década. “Mais nove anos de conversas? Isso é completamente irresponsável, já que só faz com que outros grandes emissores sentem e não façam nada”, disse a Climate Action Network (CAN), que entrega o prêmio em nome de diversas ONGs.

Enquanto isso, o presidente americano, Barack Obama, “apareceu” em Durban – não pessoalmente, mas por meio de um vídeo, num evento sobre a Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação Florestal (Redd).

Ele elogiou a prêmio Nobel da Paz Wangari Maathai, queniana que lutou pela conservação das florestas e iniciou um movimento que plantou mais de 30 milhões de árvores. Ela morreu em setembro deste ano.

“O trabalho de Wangari e o movimento do Cinturão Verde permanece como um testemunho do poder que uma idéia de uma única pessoa de que o simples ato de plantar uma árvore pode ser uma profunda declaração de dignidade e esperança primeiro em uma aldeia, em seguida, em uma nação, e agora, em toda a África. Aqui em Durban, nós podemos continuar o seu trabalho de preservar nossas florestas, melhorar a forma como usamos nossos recursos naturais e como cultivamos alimentos para crescer nossas economias de uma forma sustentável e que trate das mudanças climáticas … Nisso vocês podem contar com a parceria dos EUA”, disse ele no vídeo.