Itatiaia 2

Afra Balazina

17 de julho de 2011 | 12h44

 
 
A formação rochosa das Prateleiras, na parte alta do Parque Nacional de Itatiaia
 
     
 
A temperatura na madrugada chega a -1ºC e as poças de água congelam!
    

 

 Alunos do segundo ano do ensino médio visitam o planalto do Itatiaia

 

 

 

 

 

 

 

Vista do Pico das Agulhas Negras, a atração mais famosa do parque 

 

 

 

 O fotógrafo Paulo Liebert parou para flagrar a beleza da vista

 

 

 

 Os analistas ambientais Luiz Sergio Sarahyba (que nos ciceroneou pelo parque e é o coordenador de visitação e uso público de Itatiaia) e Luiz Coslope, que cuida da parte alta

 

 

 

 

 

Vista da parte alta do parque 

 

 

 

 

 

 

 

 Cachoeira Véu de Noiva, o principal atrativo da parte baixa do parque

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Cachoeira Véu de Noiva

 

 

A trilha para a cachoeira do Itaporani acaba de ser reaberta
 

 

 Essa foi a primeira vez que eu estive na parte alta (ou planalto) de Itatiaia. A vista é incrível! O tempo bom ajudou (um dia antes chovia e estava com muita neblina).
A viagem da parte baixa do parque para a parte alta é longa – leva cerca de 1h40 ou mais. Mas compensa!
 
O celular não tem sinal e o hotel mais próximo fica a 13 km. Por isso, os montanhistas querem mais espaço no camping – hoje, só podem ficar 10 barracas por vez, e é necessário fazer reserva antes. O custo é de R$ 6 por noite.
Também é possível ficar no abrigo Rebouças. Mas é preciso ligar para a administração do parque e agendar.
 
Ah, outra coisa bacana é que o parque fica bem na divisa entre SP, RJ e MG. A comida na região é bem boa – muita truta!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.