Notícias da madrugada

Estadão

18 de dezembro de 2009 | 07h55

Quando todos imaginavam em Copenhague que a intervenção desastrosa da Dinamarca no processo de negociação havia, enfim, acabado na quinta-feira, Connie Hedegaard, ex-presidente da COP-15, voltou à tona na madrugada de hoje. Enquanto líderes políticos, entre os quais Luiz Inácio Lula da Silva, se reuniam a portas fechadíssimas no Bella Center, Connie convocou uma reunião com representantes do LCA, o grupo que discute a criação de um eventual Protocolo de Copenhague.

Ao chegarem ao meeting, negociadores do G77 – entre os quais diplomatas brasileiros – depararam com membros de outro grupo de trabalho da COP-15, que discute o Protocolo de Kyoto. Eram negociadores do grupo Guarda-Chuva – formado por Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão, entre outros – e da União Europeia. A simples presença desses diplomatas fez os representantes do G77 virarem as costas e abandonarem a sala de reuniões, segundo o Estado foi informado nesta manhã.

A explicação: cada um dos dois grupos de trabalho, LCA e Kyoto, deve ser discutido em separado. É uma condição imposta pelo G77, que continuava, até a madrugada, atento às últimas articulações políticas de países industrializados, supostamente interessados em derrubar o Protocolo de Kyoto e em fundir os mecanismos climáticos internacionais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.