AF-447: sondas de Pitot não foram encontradas. Mas não são cruciais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

AF-447: sondas de Pitot não foram encontradas. Mas não são cruciais

andreinetto

13 de maio de 2011 | 11h40

Foto Charles Platiau / Reuters

Os tubos de Pitot, os sensores de velocidade do Airbus A330-200 que realizava o voo AF-447 entre Rio e Paris em maio de 2009, ainda não foram localizadas. Segundo os experts do BEA, o escritório que investiga as causas do acidente, e do Cenipa, seu homólogo brasileiro, o equipamento será procurado no fundo do mar. Os técnicos da expedição tentam também trazer a bordo os destroços do cockpit, onde as ondas podem estar presas. Apesar de não tê-las localizado, o grupo de especialistas não considera sua existência física necessária para avaliar se elas falharam ou não, desencadeando panes elétricas e eletrônicas em sequência, como estimam analistas independentes. Com as caixas pretas já seria possível tirar a conclusão.

Além dos especialistas do BEA, observados pelo representante do Cenipa, peritos independentes contratados pela Justiça da França terão acesso aos dados coletados, com o objetivo de garantir a completa independência da investigação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.