“Não viajarei!” – Cristina Kirchner não sairá do país para evitar que vice fique na presidência
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Não viajarei!” – Cristina Kirchner não sairá do país para evitar que vice fique na presidência

arielpalacios

20 de janeiro de 2010 | 12h17

flechas
Presidente argentina quando está furiosa faz um curtíssimo e brusco, quase imperceptível movimento lateral com a cabeça. Se ela faz esse movimento, preparem-se, pois é o Vesúvio em fúria. Cristina Kirchner afirma que não sairá do país para evitar o risco de “desestabilização” que seu popular vice, Julio Cobos, poderia causar (as flechinas vermelhas centrífugas são para ilustrar a direção do movimento quando a presidente “monta en cólera”, como dizem às margens do Prata).

maodQuando está muito irritada, a presidente Cristina Kirchner costuma fazer um involuntário movimento lateral horizontal curto, rápido e forte com sua cabeça. Simultaneamente, olha fixo para o interlocutor como se estivesse disparando raios de energia letal (como aqueles do Scott Summers, o Cyclops dos X-Men).

Nesta terça-feira no fim do dia, enquanto Buenos Aires recuperava-se de mais uma tórrida jornada de verão portenho (muito úmida), o crânio da presidente argentina oscilou lateralmente outra vez nos primeiros minutos de uma inesperada coletiva de imprensa, convocada às pressas na Casa Rosada, o palácio presidencial.

O movimento cranial foi acompanhado de um anúncio bombástico: ela afirmou que não viajaria à China nos próximos dias, tal como estava programado (uma importantíssima viagem ao país asiático, acompanhada de uma missão empresarial), porque não confia em seu vice-presidente, Julio Cobos.

Atrás dos dois costumeiros microfones em cima da tribuna, a presidente Cristina começou a saraivada de críticas contra o vice-presidente, ao qual chamou de “líder da oposição”, além de acusá-lo de “obstruir medidas” do governo.

coboscorre
Cobos, a ex-“mosca-morta” que tornou-se o principal inimigo do casal Kirchner dentro da classe política. O vice gosta de participar de maratonas

Cobos rompeu com a presidente Cristina há um ano e meio. Gradualmente o vice passou às fileiras da oposição, da qual atualmente é o presidenciável melhor cotado.
“Não dá para estar na tribuna do River (Plate), gritando os gols do Boca (Juniors)”, disparou Cristina em uma metáfora futebolística.

“Essa viagem me obrigaria a ficar dez dias fora do país, tempo muito prolongado, levando em conta que o vice-presidente não cumpre seu papel”, alegou a presidente.

Segundo Cristina Kirchner, seu vice poderia aproveitar sua ausência e implementar alguma medida que “tenderia a desestabilizar” o país.

No âmbito político em Buenos Aires especulava-se ontem se a presidente Cristina deixaria de fazer viagens ao exterior para evitar que Cobos ocupe a presidência nos dois anos que restam de governo.

Nos últimos dias o protagonismo de Cobos cresceu perante a crise desatada pela tentativa de intervenção da presidente Cristina no Banco Central, passando por cima da autonomia da entidade monetária e do Parlamento. Diversas pesquisas indicam que o vice é o político com maior aprovação popular.

Não é uma suspensão de viagem qualquer. Trata-se da China, o terceiro maior mercado das exportações feitas pela Argentina. Além disso, o país asiático absorve 75% da soja em grãos que o país exporta.

Uma hora depois, o vice-presidente Cobos fez um apelo: “pelo bem do país, reconsidere sua decisão. É uma viagem muito importante, que foi longamente planejada e combinada”. Cobos defendeu-se das acusações da presidente: “não obstaculizei decisão alguma. Ao contrário…tentei encontrar soluções aos problemas que eu não gerei”.

A presidente Cristina tampouco viajará à Bolívia para assistir a posse do presidente Evo Morales, um de seus aliados políticos na região. Mas ela tampouco deixará que seu vice Cobos vá em representação do Estado argentino. Cristina preferiu enviar seu braço-direito na área política, o chefe do gabinete de ministros, Aníbal Fernández.
A programação inicial da visita à La Paz incluía a assinatura de um acordo para ampliar as exportações de gás boliviano para a Argentina.

cfk
Presidente não fala com vice desde 2008

PARAFUSOS
Cristina Kirchner também atacou o presidente do BC, Martín Redrado, ao qual acusou de estar “aparafusado” em sua poltrona. O governo está tentando há duas semanas remover o presidente da entidade monetária. Mas, a Justiça, por enquanto, bloqueia essa remoção. Diante do impasse, a presidente anunciou que concorda em levar o caso de Redrado ao Parlamento.

JUSTIÇA EXPRESS
Segundo a presidente Cristina, diversos juízes conspiram com políticos da oposição para obstaculizar seu governo. Segundo ela, trata-se da “Justiça express” realizada por “juízes delivery”.
Por trás da crítica à Justiça estão os diversos reveses que o governo levou no último mês e meio nos tribunais federais. Desde dezembro juízes bloquearam a aplicação de vários artigos da controvertida Lei de Mídia (por considerar que continha vários pontos inconstitucionais), a remoção do presidente do BC, Martín Redrado, a suspensão do cancelamento de duas empresas do Grupo Clarín e o bloqueio do decreto que ordenava o uso de reservas do BC para o pagamento da dívida pública com os credores privados.

LIBERDADE DE IMPRENSA
A presidente Cristina também criticou a mídia, com ironias: “estou disposta a morrer para que continue existindo liberdade de imprensa….para que continuem publicando as mentiras de sempre!”

DECRETOS
Horas antes do discurso de Cristina Kirchner, os principais partidos da oposição haviam assinado um documento no qual exigiam a convocação de uma sessão extraordinária (o Parlamento está em recesso atualmente) para discutir os decretos de necessidade e urgência da presidente. Com um decreto desse tipo recentemente Cristina Kirchner tentou remover o presidente do Banco Central, Martín Redrado.

MARIONETES E IOGA
Em meio ao imbróglio generalizado, o presidente do BC, Martín Redrado, foi denunciado na Justiça Federal pelo uso indevido de 200 mil pesos (US$ 52 mil) para shows de marionetes, uma oficina de teatro e duas oficinas de ioga no Banco Central.
tresvinhestas

THE SHOW MUST GO ON
hands Se antes existia a “esquerda festiva”, isto aqui é a “direita festiva”? Presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera, dança (na semana anterior à eleição) “Thriller”, do fenecido M.Jackson. Link do Youtube com os peculiares passos de dança aqui.

EPÍLOGO BORGIANO
borges5
À direita, JL Borges. À esquerda, Beppo

maodE para quase concluir, umas frases de Jorge Luis Borges (1899-1986), o autor de “O Aleph” e de “História Universal da Infâmia”

“Las biografías son el ejercicio de la minucia, un absurdo. Algunas constan exclusivamente de cambios de domicilio” (As biografias são o exercício da minúcia, um absurdo. Algumas constam exclusivamente de mudanças de domicílio)

“El infierno y el paraíso me parecen desproporcionados. Los actos de los hombres no merecen tanto” (O inferno e o paraíso me parecem desproporcionados. Os atos dos homens não merecem tanto)

“Quizá haya enemigos de mis opiniones, pero yo mismo, si espero un rato, puedo ser también enemigo de mis opiniones”. (Talvez existam inimigos de minhas opiniões. Mas eu mesmo, se espero um momento, posso também ser inimigo de minhas opiniões)

“Si de algo soy rico es de perplejidades y no de certezas” (Se de alguma coisa sou rico é de perplexidades e não de certezas)

poe
Borges sentado sobre Poe

EPILOGUÍSSIMO TANGUEIRO TRIPLO
maodUm de meus tangos preferidos, “Garufa”, de Juan Antonio Collazo (música) e Victor Soliño e Roberto Fontaina (letra). É um tango bem-humorado (tive em Londrina e Curitiba um genial cachorro, pastor belga, com esse nome), que conta a história de um bon vivant por excelência.
Foi composto no Uruguai, mas tornou-se também um clássico em Buenos Aires. Para cantá-lo à uruguaia, deve-se colocar o verso “por la calle San José” no final da segunda parte. Para cantá-lo à argentina, deve-se colocar o verso “En el Parque Japonés” na mesma linha.

Neste link do Youtube, com a orquestra de Donato Raciatti. Cliqueaqui!
A letra:

Del barrio La Mondiola sos el más rana
y te llaman Garufa por lo bacán;
tenés más pretensiones que bataclana
que hubiera hecho suceso con un gotán.
Durante la semana, meta laburo,
y el sábado a la noche sos un doctor:
te encajás las polainas y el cuello duro
y te venís p’al centro de rompedor.

Garufa,
¡pucha que sos divertido!
Garufa,
ya sos un caso perdido;
tu vieja
dice que sos un bandido
porque supo que te vieron
la otra noche
por la calle San José / en el Parque Japonés.

Caés a la milonga en cuanto empieza
y sos para las minas el vareador;
sos capaz de bailarte la Marsellesa,
la Marcha a Garibaldi y El Trovador.
Con un café con leche y una ensaimada
rematás esa noche de bacanal
y al volver a tu casa, de madrugada,
decís: “Yo soy un rana fenomenal”.

E o sarcástico “Se dice de mí”, com a emblemática Tita Merello. Milonga de 1943. A música é de Francisco Canaro. Letra de Ivo Pelay.
O link do Youtube, clique aqui!

A letra:

Se dice de mí,
se dice de mí.
Se dice que soy fiera,
que camino a lo malevo,
que soy chueca y que me muevo
con un aire compadrón,
que parezco Leguisamo,
mi nariz es puntiaguda,
la figura no me ayuda
y mi boca es un buzón.

Si chlarlo con Luis, con Pedro o con Juan,
hablando de mí os hombres están.
Critican si ya, la linea perdí,
se fijan si voy, si vengo o si fi.

Se dicen muchas cosas,
mas si el bulto no interesa,
porque pierden la cabeza
ocupándose de mí.
Yo se que muchos me desprecian compañía
y suspiran y se mueren cuando piensan en mi amor.
Y más de uno se derrite si suspiro
y se quedan si los miro resoplando como un ford.

Si fea soy,
pongámosle,
que de eso aun no me enteré,
en el amor, yo solo sé
que a más de un gil, dejé a pie.

Podrá decir, podrán hablar,
y murmurar, y rebuznar,
mas la fealdad que dios me dio,
mucha mujer me la envidió
y no diran que me engrupí
porque modesta siempre fui.
Yo soy así

Y ocultan de mí,
ocultan que yo tengo,
unos ojos soñadores,
ademas otros primores
que producen sensación.
Si soy fiera se que, en cambio,
tengo un cutis de muñeca,
los que dicen que soy chueca,
no me han visto en camisón.
Los hombres de mí critican la voz,
el modo de andar, la pinta, la tos.

Critican si ya la linea perdí,
se fijan si voy, si vengo, o si fui.
Se dicen muchas cosas,
mas si el bulto no interesa,
porque pierden la cabeza
ocupandose de mí.

Yo se que hay muchos me desprecian compañía,
y suspiran y se mueren cuando piensan en mi amor.
Y más de uno se derrite si suspiro
y se quedan si los miro resoplando como un ford.
Si fea soy, pongamosle,
que de eso aun no me enteré
en el amor, yo sólo se,
que a más de un gil, deje de a pie.

Podrán decir, podrán hablar,
y murmurar, y rebuznar,
mas la fealdad que dios me dio,
mucha mujer me la envidió.
Y no dirán que me engrupí
porque modesta siempre fui.
Yo soy así.

E,entrando no século XXI, do Gotan Project, Santa Maria (del Buen Ayre). O link do Youtube: clique aqui!

borgestango
Desenho de Jorge Luis Borges sobre o tango

………………………………………………………….
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados.
Tampouco serão publicados ataques pessoais entre leitores nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes.
Além disso, não publicaremos palavras ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.