Cristina Kirchner gastou 35% a mais em autoelogios em 2014
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cristina Kirchner gastou 35% a mais em autoelogios em 2014

arielpalacios

14 de janeiro de 2015 | 09h39

BlogCristinaKirchnerFogos

Desde chegada dos Kirchners ao poder em 2003, a publicidade estatal com elogios ao próprio governo aumentou 2.120%. 

blog1dedo4Em 2014 governo argentino gastou 35% a mais em publicidade sobre as obras e atos da administração federal – e da própria pessoa da presidente Cristina Kirchner – do que em 2013. Isso é o que indicam os dados do Programa de Imprensa e Difusão de Atos do Governo, que informou que os gastos na área foram de US$ 222 milhões no ano passado. Esse volume é 85% superior ao total previsto inicialmente para a publicidade oficial no Orçamento Nacional do ano passado.

Em 2003, ano no qual o presidente Néstor Kirchner (2003-2007) tomou posse, o governo gastou US$ 10 milhões em publicidade oficial. Desta forma, os gastos realizados no ano passado implicam em um aumento de 2.120% em publicidade com apologias ao governo Kirchner em comparação com seu primeiro ano no poder. Segundo deputados da oposição, o governo está destinando à própria publicidade fundos que poderiam ser investidos em áreas com problemas, como o setor de saúde e educação.

Os analistas indicam que a publicidade oficial é fundamental na construção do “relato”. Esse é o termo utilizado pela presidente Cristina para narrar e divulgar a História de seu governo, atos e medidas, além de reconfigurar os fatos do passado e influenciar o presente por intermédio dos meios de comunicação. Segundo José Crettaz, colunista do jornal “La Nación” e professor de Economia da Mídia da Universidade Argentina da Empresa (Uade), “editar a realidade é uma paixão do kirchnerismo”.

VERBAS – O governo forneceu a maior parte das verbas publicitárias para os meios de comunicação alinhados com a Casa Rosada. Esse é o caso do canal Telefé (propriedade da Telefónica da Espanha) e do Grupo Veintitrés, que receberam respectivamente US$ 10,37 milhões e US$ 3,9 milhões. O jornal “Página 12”, de defesa enfática do governo Kirchner, recebeu US$ 3 milhões. No entanto, o Grupo Clarín, considerado inimigo mortal pela presidente Cristina, recebeu somente US$ 162 mil. O jornal “La Nación”, crítico com a Casa Rosada, também obteve apenas US$ 162 mil.

No entanto, esses valores não incluem os gastos em publicidade realizados pelo ANSES (o sistema previdenciário) e o “Futebol para todos” (denominação das transmissões estatizadas dos jogos de futebol, ao longo dos quais somente são veiculadas publicidades governamentais). Incluindo estes gastos, a publicidade oficial do governo Kirchner alcançou a faixa de US$ 487 milhões em 2014.

Mas, segundo a fundação LED (Liberdade de Expressão mais Democracia), se forem acrescentados os gastos nos canais de TV estatais, na agência de notícias Télam, entre outros meios de comunicação controlados pelo governo, o custo com publicidade eleva-se a US$ 666,25 milhões. Segundo a presidente da Fundação LED, Silvana Giudicci, o gasto em publicidade oficial é realizar “de maneira arbitrária e desigual, apesar da determinação contrária da Corte Suprema”.

BlogVinhetaMundo (2)BlogVinhetaMundo (2)BlogVinhetaMundo (2)BlogVinhetaMundo (2)BlogVinhetaMundo (2)

hirschfeldfarrago3PERFIL: Ariel Palacios fez o Master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995 é o correspondente de O Estado de S.Paulo em Buenos Aires. Além da Argentina, também cobre o Uruguai, Paraguai e Chile. Ele foi correspondente da rádio CBN (1996-1997) e da rádio Eldorado (1997-2005). Ariel também é correspondente do canal de notícias Globo News desde 1996.

Em 2009 “Os Hermanos recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra). Em 2013 publicou “Os Argentinos”, pela Editora Contexto, uma espécie de “manual” sobre a Argentina. Em 2014, em parceria com Guga Chacra, escreveu “Os Hermanos e Nós”, livro sobre o futebol argentino e os mitos da “rivalidade” Brasil-Argentina.

No mesmo ano recebeu o Prêmio Comunique-se de melhor correspondente brasileiro de mídia impressa no exterior.

passaro4 Acompanhe-nos no Twitter, aqui.

blog1vinhetalendonewsstand4 …E leia os supimpas blogs dos correspondentes internacionais do Estadão, aqui.

E, the last but not the least, siga @EstadaoInter, o Twitter da editoria de Internacional do Estadão.
E, de bonus track, veja o Facebook  da editoria de Internacional do Portal do Estadão,aqui.
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas, xenófobos ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados. Tampouco serão publicados ataques pessoais aos envolvidos na preparação do blog (sequer ataques entre os leitores) nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes. Propaganda eleitoral (ou político-partidária) e publicidade religiosa também serão eliminadas dos comentários. Não é permitido postar links de vídeos. Os comentários que não tiverem qualquer relação com o conteúdo da postagem serão eliminados. Além disso, não publicaremos palavras chulas ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico).