“El Diez” dixit: Breve antologia de epígrafes da também breve “Era Maradona”
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“El Diez” dixit: Breve antologia de epígrafes da também breve “Era Maradona”

arielpalacios

29 de julho de 2010 | 13h37

 blogbaudelaire

O poeta francês Charles Baudelaire – que não conheceu o futebol e era classificado de ‘maldito’ – dizia que “Deus é um escândalo…um escândalo que dá vendas”. De Maradona, poderia ter dito “Dios, El Diez, é um escândalo…um escândalo que dá vendas” (foto realizada ao redor de 1863). Os contratos de publicidade que a seleção argentina conseguiu com Maradona como técnico (independentemente das vitórias ou derrotas) foram substancialmente lucrativas. Maradona vende bem, seja como fracasso ou vencedor.

blog1dedo2bDiego Armando Maradona é conhecido pela prática constante do esporte das epígrafes. Com intensa frequência ele dispara novas pérolas do pensamento ‘maradoniano’. Como não podia deixar de ser, durante seu breve período como técnico da seleção argentina – 637 dias, o mais curto de um técnico argentino em mais de três décadas – “El Diez” pronunciou várias frases que ficarão para a antologia do futebol. Aqui segue uma pequena mostra:

“O que busco em meus colaboradores é a lealdade total e que sigam as ordens da mente absoluta, que sou eu” (ao tomar posse como técnico, em novembro de 2008)

“Cada gol da Bolívia foi uma punhalada no coração. Levamos uma goleada que ninguém esperava” (no ano passado, depois que a seleção argentina foi goleada por 6 a 1 em La Paz. Lembrete: Maradona apóia Evo Morales na defesa da realização de jogos em elevadas altitudes) 

“Que vocês me c… !” (quando, em novembro passado, convidou os jornalistas a praticar o fellatio nele próprio, depois de derrotar o Uruguai e conseguir uma suada classificação da seleção argentina).

 – “E que vocês continuem me mamando!” (reiteração do convite para a prática de sexo oral, meia hora após a primeira proposta)

“Se vencermos a Copa, tiro a roupa, fico ‘en bolas’ (expressão em espanhol equivalente a ‘ficar nu”) e corro ao redor do Obelisco” (pouco antes de partir para a África do Sul).

“Não estou levando muitas coisas na mala…é que a coisa mais importante é aquela que vou trazer da África do Sul” (antes de partir para a Copa, confiante de que voltaria à Buenos Aires com a taça da FIFA).

– “A seleção argentina é como um Rolls Royce. E (Lionel) Messi é seu motorista” (comparação com o elitista britânico automóvel e seu time, exatamente 48 horas antes de debutar na Copa).

“Gosto de mulheres. Não vamos começar com esses papos, pois senão depois vão dizer por aí que desmunheco” (durante a Copa, quando defendeu seu costume de beijar e abraçar efusivamente os jogadores da seleção, ao mesmo tempo que ressaltava sua heterossexualidade).

– “O time é este aqui. Não há motivos para mexer nele!” (poucas horas antes de enfrentar a Alemanha nas quartas de final e levar quatro teutões gols no arco de sua seleção)

“Isso foi como um soco do Mohammed Ali…é a coisa mais dura pela qual já passei (comparação com Cassius Clay, a.k.a.  M.Ali, campeão mundial de pugilato, logo depois que a Argentina levou quatro gols da Alemanha, nas quartas de final e não emplacou gol algum).

“Se mexerem no cara do almoxarifado, vou embora da seleção” (no domingo, quando indicou que só ficaria no cargo de técnico se todos os homens de sua equipe permanecessem em seus respectivos lugares).

 blogmaradona-altar

Segundo pesquisa,30% dos torcedores definem Era Maradona de ‘péssima’ e outros 32% como ‘ruim’. Em Buenos Aires, torcida rejeitou designação de Maradona em 2008 para o cargo de técnico, continuou rechaçando o ex-jogador ao longo do ano passado, e persistiu no rechaço durante a Copa neste ano. O altar em questão está situado em Nápoles, onde D.A.M. ainda é reverenciado.

AFA DEFINE SUCESSOR MENOS MIDIÁTICO

blog1hand-prawo2 Julio Grondona, presidente da Associação de Futebol da Argentina (AFA), está há 31 anos no poder. O octogenário líder da entidade esportiva, que é vice-presidente da FIFA, gosta de afirmar que já sobreviveu a um papa (João Paulo II) e ainda perdura no pontificado do sucessor (Bento XVI). Mas Grondona também passou incólume pela troca de quatro ditadores e nove presidentes civis.

De quebra, desde que está no comando da AFA, assistiu a passagem de oito técnicos da seleção argentina, de César Luis Menotti a Diego Armando Maradona. Na terça-feira à noite Grondona anunciou que não renovaria o contrato de “El Diez”. Desde esse dia tenta definir o nome do nono técnico das últimas três décadas.

O prazo para definir o status empregatício de Maradona terminava na terça-feira, já que era o último dia para que a a AFA anunciasse a lista de jogadores convocados para o amistoso contra a Irlanda no dia 11 de agosto em Dublim, Irlanda.

De forma interina, unicamente para esse jogo – o posto de Maradona será ocupado por Sergio Batista, que atualmente comanda a seleção sub-20 da Argentina.

O nome preferido dos torcedores é Carlos Bianchi, ex-técnico do Vélez Sarsfield e do Boca Juniors, que segundo uma pesquisa do jornal “Perfil” contaria com o respaldo de 42% dos torcedores. Alejandro Sabella, do Estudiantes de La Plata, possui 15% das preferências.

O jornal esportivo “Olé” também apontou Bianchi como o favorito. Segundo sua pesquisa, 46% dos internautas desejam que o ex-técnico do Boca Juniors comande a seleção. O segundo colocado é o ex-técnico River Plate, Ramón Díaz, com 13%. Américo Gallego conta com 9% dos votos, enquanto que Marcelo Bielsa, que comandou a seleção chilena nesta copa, obteve 7% dos votos.

Mas, Grondona não aceitaria a presença de Bianchi, com o qual possui péssima relação e com o qual não conversa desde 2004. Os preferidos do presidente da AFA são Sabella e Miguel Ángel Russo, técnico do Racing. Na pesquisa do “Olé”, Sabella teve 0% dos votos. Russo conseguiu 3%.

Os analistas esportivos indicam que Grondona pretende que o próximo técnico seja uma pessoa de baixo perfil, sem o tom midiático que caracterizou a fase ‘maradoniana’. Maradona foi o técnico que menos tempo durou no posto na “Era Grondona” (apenas 637 dias).

Fernando Signorini, preparador físico da seleção, criticou a decisão da AFA e defendeu Maradona. “Uma pessoa que deu tanto ao futebol merecia outro tratamento”, afirmou.

O porta-voz da AFA, Ernesto Cherquis Bialo sustentou na quarta-feira que a entidade esportiva não demitiu Maradona: “simplesmente não renovamos o contrato, já que não havia condições para isso”.

blogmaradona-manodedios2

Touch divino não deu certo desta vez. Grafite em uma parede da capital finlandesa, Helsinqui, mostra uma versão alterada da “Criação de Adão”, de Michelangelo Buonarroti, com a Mão de Deus como a Mão do ‘Diez’.

blog1hand-prawo2 ‘PÉSSIMA’ ERA – Uma pesquisa realizada pelo Canchallena.com, o site esportivo do jornal “La Nación”, indicou que 30% dos entrevistados definem a “Era Maradona” de “péssima”, enquanto que outros 32% a definem de “ruim”. Outros 18% a considera “regular”; apenas 7% a qualificam de “boa”, enquanto que 3% indicam que foi “muito boa”. E uma porcentagem mínima, somente 2%, afirmam que foi “excelente”.

Outra pesquisa, do jornal “Infobae”, sustenta que 82,91% dos internautas respaldam a decisão da AFA de não renovar o contrato de Maradona. Apenas 17,09% criticam a medida.

blogGrondonapresidencia

Não é Jabba Desilijic Tiure, mais conhecido como Jabba o Hutt (para mais detalhes do caudilho de Tatooine – planeta relevante em Star Wars – clique aqui.) A foto ilustra ‘Don’ Julio Grondona, o homem que sobreviveu a quatro ditadores e nove presidentes civis… e oito técnicos.

DON JULIO – Julio Grondona, chamado por seus subordinados e presidentes de clubes de “Don” Julio domina a AFA sem oposições nem questionamentos. Grondona conseguiu ficar no comando da entidade esportiva apesar de ter conseguido, em 31 anos de poder, apenas uma Copa do Mundo (México, 1986). Nesse intervalo, passou por oito greves de jogadores, três paralisações de árbitros, além de quatro dezenas de casos de doping dos jogadores da seleção e uma série de suspeitas de corrupção. De quebra, no ano passado, fechou um acordo com a presidente Cristina Kirchner para a estatização das transmissões dos jogos de futebol. Em troca do controle estatal das transmissões, a AFA receberá, durante dez anos, um total de US$ 156 milhões por ano.

blogcristina-y-grondona

Cristina Kirchner e Julio Grondona fizeram acordo para estatizar transmissões dos jogos. Governo fica com o público que assiste o esporte e presidente da AFA obtém uma fonte de renda adicional para  a entidade esportiva. Antes da briga com Grondona, Maradona abençoou o acordo.

CREPÚSCULO DE ‘DIOS’ – Por trás da queda de “La Mano de Dios” (A Mão de Deus) estaria a recusa de Maradona em aceitar a inclusão de homens de confiança de Grondona em sua equipe. Simultaneamente, Maradona ambicionava manter todos seus assessores e colaboradores, para os quais requeria aumentos salariais de 20% a 30%.  

Nos últimos dias a situação de Maradona havia ficado delicada, já que – segundo informações extraoficiais – teria perdido o respaldo do governo, irritado com a indiferença do outrora “El Pibe de Oro” perante o insistente convite da presidente Cristina Kirchner para que fosse visitá-la na Casa Rosada, o palácio presidencial, depois que retornou da Copa do Mundo.

A gota d’água para o governo Kirchner e a AFA teria sido a ostensiva presença de Maradona em Caracas na semana passada durante a declaração do presidente Hugo Chávez de rompimento de relações diplomáticas com a Colômbia. Na ocasião, Maradona, em pé ao lado de Chávez, apoiou ao vivo pela TV a decisão do líder bolivariano e fez piadas sobre o presidente colombiano Alvaro Uribe.

blogmaradonamenem

Início dos anos 90, Maradona com o então presidente Carlos Menem. “El Diez” cultivou o alinhamento político com o mais variado leque de presidentes, desde “El Turco” até os “Pingüinos” Kirchners.

blog1handmao2 JOGADORES, TORCIDA E JORNALISTAS – Desde sua designação em novembro de 2008, Maradona também enfrentou a oposição de uma parte substancial da imprensa, que não perdoou a miríade de impropérios e ataques pessoais que o técnico desferiu contra jornalistas durante seu período como técnico.

De quebra, parte dos jogadores da seleção não concordavam com o estilo de comando de Maradona, considerado “vago”. Os analistas esportivos o criticavam por sua ausência de estratégia e de improviso em momentos decisivos.

Para complicar a situação de Maradona, as pesquisas de opinião pública indicam que a torcida argentina – majoritariamente – desejava sua remoção do cargo de técnico da seleção. Os torcedores não perdoaram Maradona pela derrota de 6 a 1 perante a Bolívia no ano passado, a desclassificação na Copa com a Alemanha, por 4 a 0, além da exclusão da seleção de figuras de peso do futebol argentino como Román Riquelme.

blog-maradona-charuto

 Maradona, com boné cubano, charuto cubano e os dois costumeiros rolex em ambos pulsos

blog1dedo4VINHO TINTO – Rumores indicam que o presidente Hugo Chávez – amigo de Maradona – teria oferecido ao argentino o comando do “Vinho Tinto”, a seleção venezuelana. Durante sua visita à Caracas na sexta-feira passada, Maradona brincou sobre o assunto: “a presidente Cristina Kirchner me telefonou antes de viajar para cá e pediu que não assinasse (um contrato) com Chávez. Mas, o que Cristina não sabe é que já assinamos tudo…”.

Maradona declara explicitamente sua admiração por Chávez. No ano passado, o técnico, que possui uma tatuagem do guerrilheiro argentino Ernesto ‘Che’ Guevara no ombro direito e a efígie do líder cubano Fidel Castro na panturrilha esquerda, prometeu que tatuaria a face de Chávez em uma parte ainda não definida de sua anatomia.

blog1vinheta55b MARADONA ‘DE LUTO’, DESABAFA – Com profundas olheiras e alguns quilos adicionais, Maradona rompeu o silêncio que manteve desde seu amargo retorno da África do Sul e disparou na quarta-feira à noite uma saraivada de desabafos e críticas. Os alvos das acusações foram Grondona, e o manager da seleção, Carlos Salvador Bilardo.

“El Diez” (O Dez) também aproveitou a coletiva de imprensa que convocou em Ezeiza, na Grande Buenos Aires, para desabafar e indicar que está arrasado pela desclassificação argentina na Copa da África do Sul. “Estou de luto. Continua em minha cabeça o jogo que perdemos 4 a 0 com a Alemanha. E isso ainda dói em minha alma”, afirmou.

“Grondona mentiu para mim. Bilardo me traiu”, disse Maradona, com voz grave e pausada. Segundo ele, Grondona havia expressado após o jogo com a Alemanha que desejava que Maradona permanecesse no cargo, pois estava “muito satisfeito” com seu trabalho, apesar da derrota.

No entanto, Grondona, nos últimos dias, colocou como condição para a permanência de Maradona a saída de vários de seus colaboradores.

Maradona rechaçou esse pedido. “Tenho valores e códigos que meus pais me ensinaram. Tenho minhas virtudes e meus defeitos. Mas ainda posso olhar as pessoas nos olhos”, disse.

blog1vinheta55b CONSPIRAÇÃO – O ex-técnico também indicou que Bilardo (que foi seu técnico na seleção de 1986), conspirava contra ele “quando ainda estávamos de luto” pela derrota perante a seleção germânica.

blog1vinheta55b CONTAS BANCÁRIAS – Maradona afirmou que “há pessoas que não gostam do futebol argentino. Só pensam nelas mesmas e em suas contas bancárias”. Lembrete: Maradona recebia US$ 100 mil de salário mensal como técnico da seleção. E cada entrevista exclusiva que concede é realizada em troca de substanciais honorários.

blog1vinheta55b BOMBEIRO – “El Pibe de Oro” (O Garoto de Ouro), como era chamado nos anos 80 e 90, sustentou que, quando assumiu o posto de técnico, a seleção tinha “objetivos ambicioso e prazos escassos. Meu ciclo durou apenas um ano e meio, o mais curto dos últimos 35 anos. Fui chamado para apagar um incêndio. E quando íamos ter calma e tranquilidade, aconteceu isto (a não-renovação do contrato).

Maradona também fez uma avaliação do estado da seleção argentina nos últimos anos. “Desde a década de 90 a Argentina não passa das quartas de final nas Copas. Há coisas que estão sendo mal feitas no futebol argentino, e há questões que vem lá de cima que estão mal. E são feitas poucas coisas para mudá-las”, disse.

No entanto, Maradona não explicou quais eram as coisas “mal feitas” dentro do âmbito futebolístico nacional.

blog1vinheta60 PSICÓLOGO – “Senhores, vocês sabem tudo o que fiz pela camiseta argentina. Deixei tudo, absolutamente tudo. Ninguém pode negá-lo. O futebol argentino precisa de tempo, para um trabalho técnico e psicológico”, sustentou.

Depois, concluiu: “quem for pegar (o cargo de técnico) precisa saber que estará rodeado de traidores…”.

Maradona saiu da sala da coletiva sem responder as perguntas dos jornalistas. 

blogmaradona-camiseta

Frase de Maradona com convite ao fellatio, imortalizada em camiseta de algodão disponível à venda pela internet a preços módicos. 

blogvinhetaanjoscorneta1E para encerrar a jornada, já que começamos falando em Baudelaire, lembramos de Paris… E como Buenos Aires já foi a “Paris da América do Sul”, colocamos o link da primeira cena de “Tangos – O exílio de Gardel”, filme dos anos 80, de Fernando “Pino” Solanas.  A cena mostra o tango em Paris (não o último tango de Schneider e Brando, obviamente). Clique aqui.

hirschfeldfarrago3PERFIL: Ariel Palacios fez o Master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995 é o correspondente de O Estado de S.Paulo em Buenos Aires. Além da Argentina, também cobre o Uruguai, Paraguai e Chile. Ele foi correspondente da rádio CBN (1996-1997) e da rádio Eldorado (1997-2005). Ariel também é correspondente do canal de notícias Globo News desde 1996.

Em 2009 “Os Hermanos recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra).

passaro4 Acompanhe-nos no Twitter, aqui.

blog1vinhetalendonewsstand4 …E leia os supimpas blogs dos correspondentes internacionais do Estadão:

……………………………………………………………………………………………………
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas, xenófobos ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados.
Tampouco serão publicados ataques pessoais aos envolvidos na preparação do blog (sequer ataques entre os leitores) nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes. Propaganda eleitoral ou partidária também será eliminada dos comentários.
Além disso, não publicaremos palavras chulas ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico
).

……………………………………………………………………………………………….. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.