Em outubro Lula será cabo eleitoral na Argentina
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em outubro Lula será cabo eleitoral na Argentina

arielpalacios

08 Setembro 2011 | 09h20

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011) desembarcará em Buenos Aires ao redor do dia 10 de outubro – na reta final da campanha eleitoral argentina – para uma reunião com a presidente Cristina Kirchner e respaldar sua aspiração a permanecer mais quatro anos no poder. “Lula sente grande respeito por Cristina”, disse o deputado Edgardo Depetri, que sucedeu o ex-presidente Nestor Kirchner(2003-2007) em sua cadeira de deputado após sua morte em outubro passado.

O plano do governo argentino é que Lula – ao longo de vários dias – seja a estrela principal de vários eventos políticos, entre os quais um comício que será realizado no Teatro Coliseo, no elegante bairro da Recoleta. O comício contará com a presença dos militantes de “La Cámpora”, o grupo ultra-kirchnerista que reúne a geração de políticos da faixa dos 20 aos 40 anos e que defende maior intervenção do Estado na economia.

Diversas pesquisas realizadas anualmente desde 2003 indicam que o ex-presidente brasileiro – considerado na Argentina como um “cabo eleitoral de luxo” – possui melhor imagem popular entre os argentinos do que os próprios políticos nativos, além de ser considerado “referente” regional por um amplo leque ideológico, que – paradoxalmente – vai desde a centro-direita à esquerda da Argentina.

A confirmação da visita de Lula foi realizada pelo embaixador Oscar Laborde, representante especial do Departamento para a Integração e a Participação Social da Chancelaria argentina. Segundo Laborde, a ideia de Lula é a viajar à Buenos Aires para respaldar a reeleição de Cristina e explicar a 450 empresários brasileiros instalados na Argentina “os motivos pelos quais é preciso que continue o projeto (de governo Kirchner)”.

A eleição presidencial argentina será poucos dias depois da visita de Lula, no dia 23 de outubro. As pesquisas indicam que Cristina é a favorita, com mais de 50% das intenções de voto.

Em abril de2003, a pedido do então presidente Eduardo Duhalde, Lula recebeu seu delfim, Néstor Kirchner, em Brasília para respaldar sua candidatura contra o ex-presidente Carlos Menem nas eleições presidenciais daquele ano.

Em 2007 Lula respaldou declaradamente a candidatura da senadora e primeira-dama (“primeira-cidadã”, segundo ela disse publicamente) Cristina Kirchner à sucessão de Menem.

No início deste ano Duhalde, considerado “inimigo” do casal Kirchner desde 2005, convidou Lula para participar do lançamento de um livro seu em Mar del Plata. No entanto, o ex-presidente brasileiro declinou o convite. Desta forma, esta será a primeira visita de Lula à Argentina na condição de ex-presidente.

 hirschfeldfarrago3PERFIL: Ariel Palacios fez o Master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995 é o correspondente de O Estado de S.Paulo em Buenos Aires. Além da Argentina, também cobre o Uruguai, Paraguai e Chile. Ele foi correspondente da rádio CBN (1996-1997) e da rádio Eldorado (1997-2005). Ariel também é correspondente do canal de notícias Globo News desde 1996.

Em 2009 “Os Hermanos recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra).

passaro4 Acompanhe-nos no Twitter, aqui.

blog1vinhetalendonewsstand4 …E leia os supimpas blogs dos correspondentes internacionais do Estadão:

E, the last but not the least, siga o @inter_estadão, o Twitter da editoria de Internacional do estadão.com.br .
Conheça também os blogs da equipe de Internacional do portal correspondentes, colunistas e repórteres. 
 
E, de bonus track, veja o Facebook da editoria de Internacional do Portal do Estadão, aqui. 
 
 ………………………………………………………………………………………………………………………………………………….
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas, xenófobos ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados. Tampouco serão publicados ataques pessoais aos envolvidos na preparação do blog (sequer ataques entre os leitores) nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes. Propaganda eleitoral (ou político-partidária) e publicidade religiosa também serão eliminadas dos comentários. Os comentários que não tiverem qualquer relação com o conteúdo da postagem serão eliminados. Além disso, não publicaremos palavras chulas ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico).