Evita Perón volta como desenho animado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Evita Perón volta como desenho animado

arielpalacios

20 de julho de 2011 | 08h18

Perón abraça Evita, enquanto seus cabelos platinados voam com o vento (não é a famosa sacada da Casa Rosada). Ícone pop, “Mãe dos pobres” já virou musical, filme, camiseta e caneca. Agora é desenho animado. Em 2D.

“Voltarei e serei milhões” era a apócrifa frase de Evita Perón, supostamente pronunciada poucos minutos antes de sua morte em julho de 1952, provocada por um arrasador câncer. Evita indicava que voltaria da morte como milhões de trabalhadores “descamisados” para tomar o poder. Mas, a famosa – e controvertida – segunda mulher do general e presidente Juan Domingo Perón, constantemente citada como “exemplo a seguir” por parte da presidente Cristina Kirchner, voltará como desenho animado no longa-metragem “Eva da Argentina”, que será dirigido porMaria Seoane, diretora da estatal Rádio Nacional.

A notícia sobre a preparação do filme – que conta com fundos do estatal Banco de La Nación- aparece em plenoperíodo de campanha eleitoral argentina. Em outubro apresidente Cristina, que emula Evita com seus gestos, disputará sua reeleição. Coincidentemente, dias antes será a estreia do filme.

“A obra louva a vida de Evita, defensora dos direitos do trabalhador e das mulheres”, afirmaram os produtores em um comunicado.

Os operários, aos quais Perón chamava de “descamisados”. Décadas depois a mesma expressão seria utilizada por Fernando Collor de Mello.

O filme mostrará a atividade política de Evita de forma romanceada, a relação sentimental com Perón e sua luta contra o câncer. “Este será o primeiro filme de desenhos animados da História política argentina. Nossa proposta é a de plasmar um registro dos seis anos de vida política de Evita, que geraram tantas interpretações”, afirmou Seoane.

O desenho animado em tom de épica terá trilha sonora do argentino Gustavo Santaolalla, músico premiado com o Oscar demelhor trilhas sonoras dos filmes “Babel” e “O segredo de Brokeback Mountain”. A produção do filme que retratará a vida de Evita – uma defensora da intervenção do Estado na economia – estaráa cargo da Azpeitia Cine e do Illusion Studios, empresa que pertence ao Grupo Exxel, fundos de investimento que foi um dos ícones do neoliberalismo dos anos 90 durante o governo de Carlos Menem (1989-99).

 Aristocracia argentina: as vilãs da História, segundo o filme.

MITOS – O filme, que mesclará cenas de imagens da época, também pretende mostrar o ódio das aristocracias portenhas contra a primeira-damaargentina e como os militares que derrubaram o governo de seu marido, em 1955, sequestraram seu corpo embalsamado.

Uma das cenas, no início do filme, mostra como Evita, que era filha extramatrimonial, foi impedida de ver o velório de seu pai pela própria viúva legítima do morto. No entanto, esta versão, imortalizada no musical britânico “Evita”, não teria a ver com a realidade. Isso é o que afirmou há poucos dias Cristina Álvarez, sobrinha-neta de Evita, aliada da presidente Cristina Kirchner, e presidente da Fundação Museu Evita.

Álvarez – cuja avó materna, Blanca Duarte, era irmã de Eva Duarte de Perón – explicou que a mulher oficial do pai de Evita, Juan Duarte, havia falecido em 1922, quatro anos antes do marido. A sobrinha-neta, considerada a detentora do maior número de documentos e memorabilia de sua tia-avó, desmentiu que Evita e seus irmãos, ao contrário do que dizia a lenda, haviam sido expulsos do velório.

Perón e Evita sob o luar que cai na Praça de Mayo. Ao fundo, à esquerda, o Banco de La Nación. À direita, ao fundo, a Casa Rosada. E na direita do fotograma, o desenho de Rodolfo Walsh, jornalista investigativo, que na vida real escreveu sobre o paradeiro do corpo de Evita. Para mais detalhes sobre Walsh, aqui.

CARNE E OSSO – Várias atrizes interpretaram Eva Perón no cinema. A primeira delas foi Faye Dunaway, que em 1981 fez um filme para a TV com James Fiorentino como Perón. Buenos Aires, nesse filme, aparecia como uma cidade de arquitetura colonial da América Central.

Uma década e meia depois, em 1996, foi a vez de Madonna interpretar Evita em uma transposição do musical de Andrew Lloyd Weber ao cinema por intermédio de Alan Parker. Na mesma época, o cinema argentino decidiu produzir um filme próprio sobre a mulher mais famosa da História do país – e com mais detalhes políticos no enredo – e lançou o “Eva Perón: a verdadeira história”, protagonizado pela atriz Esther Goris e dirigido por Juan Carlos Desanzo.

O revival sobre Evita no cinema, na literatura, na estampa de camisetas e caneras, e até como capa de CD de disco music, levou a escritora mexicana Alma Guillermoprieto a afirmar anos atrás: “evidentemente, a vida de Evita acaba de começar!”

 O link para o trailer do filme de Evita, aqui.

 E, para mais detalhes sobre como Evita virou ícone pop e os mitos e fatos sobre a principal figura feminina política do século XX na Argentina, uma postagem de dois anos atrás sobre o assunto, aqui.

 Aproveitamos a ocasião para desejar hoje um estupendo aniversário a nosso comentarista e leitor Lito Portenho, que acompanha o blog desde sua primeira semana!

E como presente especial, um tango diferente: “Papirosen”, com Zully Goldfarb. Aqui.

E aproveitamos para mandar um abraço imenso a todos os amigos… no Dia do Amigo, isto é, hoje!

Ah, quem não está por dentro desta história, pode ver uma postagem ddo ano passado, exatamente sobre esta data, que foi criada por um argentino. Aqui.

 a meu pai, José Elias, que faz aniversário hoje – e que será novamente avô daqui a poucas semanas – um dos tangos com seu cantor preferido, Julio Sosa. Aqui. E mais Julio Sosa, aqui.

E de “yapa” (brinde), mais duas interpretações do emérito uruguaio Julio Sosa, “El Firulete”, uma milonga, ,aqui. …e o tango “Elultimo café”, aqui.

O VERDADEIRO FACEBOOK: Giuseppe Arcimboldi, ou Arcimboldo: acima, seu quadro “O Bibliotecário”, de 1566. Exposto no Castelo Skokloster,

A referência ao pintor milanês do século XVI é só para dizer aos amigos que ainda estou tentando “pegar o jeito” do Facebook,com oqual não tenho muita paciência. Ainda prefiro o mail e o twitter…

Abraços e bom meio de semana a todos!

Ariel

hirschfeldfarrago3PERFIL: Ariel Palacios fez o Master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995 é o correspondente de O Estado de S.Paulo em Buenos Aires. Além da Argentina, também cobre o Uruguai, Paraguai e Chile. Ele foi correspondente da rádio CBN (1996-1997) e da rádio Eldorado (1997-2005). Ariel também é correspondente do canal de notícias Globo News desde 1996.

Em 2009 “Os Hermanos recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra).

passaro4 Acompanhe-nos no Twitter, aqui.

blog1vinhetalendonewsstand4 …E leia os supimpas blogs dos correspondentes internacionais do Estadão:

………………………………………………………………………………………………………………………………………………….
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas, xenófobos ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados. Tampouco serão publicados ataques pessoais aos envolvidos na preparação do blog (sequer ataques entre os leitores) nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes. Propaganda eleitoral (ou político-partidária) e publicidade religiosa também serão eliminadas dos comentários. Os comentários que não tiverem qualquer relação com o conteúdo da postagem serão eliminados. Além disso, não publicaremos palavras chulas ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico).

Tendências: