Para o Day After: Kirchnerismo quer presidente Cristina como Merco-deputada no Parlasul
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para o Day After: Kirchnerismo quer presidente Cristina como Merco-deputada no Parlasul

arielpalacios

01 de dezembro de 2014 | 01h20

BlogCristinaSorri

Presidente Cristina Kirchner sorrindo em evento público.

blog1dedo4O kirchnerismo pretende levar ao plenário da Câmara dos Deputados nesta semana o projeto de lei que estipula a eleição pelo voto popular dos parlamentares argentinos que integrarão o Parlasul, o Parlamento do Mercosul, com sede em Montevidéu. A ordem da Casa Rosada a seus parlamentares é que o Senado também vote o projeto de lei antes do Réveillon. Por trás desta pressa está o plano do governo de permitir uma candidatura a Cristina Kirchner para um cargo que lhe propicie imunidade parlamentar – mas neste caso com hierarquia internacional – a partir do fim de seu mandato presidencial, que conclui em dezembro do ano que vem. Isto é, Cristina Kirchner, no day after do término de seu governo, poderia ficar blindada com este cargo contra eventuais problemas na Justiça.

Cristina – eleita em 2007 e reeleita em 2011 – não pode ter um terceiro mandato consecutivo, já que a constituição argentina somente autoriza duas reeleições presidenciais seguidas.

A presidente precisa imunidade, já que está sendo alvo de investigações na Justiça, que poderiam ter um impulso político adicional em caso de vitória da oposição nas eleições de outubro de 2015. No kirchnerismo o argumento é que a presidente Cristina será útil à “integração sul-americana” com um posto no Parlasul.

O Parlamento do Mercosul – entidade criada em 2006, que começou a funcionar em 2007 – não possui atualmente poder concreto. Ele pode fazer recomendações ao Conselho do Mercado Comum do Mercosul e aos governos dos países sócios

A deputada kirchnerista Diana Conti disse que a ideia é aprovar a lei da eleição direta para os representantes argentinos no Parlasul antes da cúpula do Mercosul, que será realizada na cidade de Paraná, capital da província de Entre Ríos, nos dias 16, 17 e 18 de dezembro.

O projeto kirchnerista estabelece que a eleição direta para os parlamentares argentinos para o Parlasul seja por distrito único, isto é, uma única lista por partido em todo o país. Atualmente os 26 parlamentares argentinos são eleitos por via indireta pelos senadores e deputados do Congresso Nacional em Buenos Aires.

BlogCristinaDedo2

INVESTIGAÇÕES – O juiz federal Claudio Bonadío ordenou na quinta-feira uma blitz nos escritórios da Administração Federal de Ingressos Públicios (Afip, sigla da receita federal argentina) para obter as declarações juramentadas da presidente Cristina Kirchner, do ex-presidente Néstor Kirchner (morto em 2010) e de seus dois filhos, Máximo e Florencia Kirchner. O juiz, que ontem (sexta-feira) recebeu os documentos, investiga supostas irregularidades na contabilidade da empresa Hotesur, administradora do hotel de luxo Alto Calafate, na Patagônia. Bonadío suspeita que o hotel foi utilizado para operações do delito de lavagem de dinheiro em parceria com Lázaro Báez, sócio dos Kirchners em empreendimentos imobiliários.

IMUNIDADE DO PARLASUL – A lei número 26.146 que ratificou o Protocolo Constitutivo do Parlasul determina que seus parlamentares “não poderão ser julgados de forma civil ou penal no território dos Estados-parte do Mercosul”.

hirschfeldfarrago3PERFIL: Ariel Palacios fez o Master de Jornalismo do jornal El País (Madri) em 1993. Desde 1995 é o correspondente de O Estado de S.Paulo em Buenos Aires. Além da Argentina, também cobre o Uruguai, Paraguai e Chile. Ele foi correspondente da rádio CBN (1996-1997) e da rádio Eldorado (1997-2005). Ariel também é correspondente do canal de notícias Globo News desde 1996.

Em 2009 “Os Hermanos recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra). Em 2013 publicou “Os Argentinos”, pela Editora Contexto, uma espécie de “manual” sobre a Argentina. Em 2014, em parceria com Guga Chacra, escreveu “Os Hermanos e Nós”, livro sobre o futebol argentino e os mitos da “rivalidade” Brasil-Argentina.

No mesmo ano recebeu o Prêmio Comunique-se de melhor correspondente brasileiro de mídia impressa no exterior.

passaro4 Acompanhe-nos no Twitter, aqui.

blog1vinhetalendonewsstand4 …E leia os supimpas blogs dos correspondentes internacionais do Estadão, aqui.

E, the last but not the least, siga @EstadaoInter, o Twitter da editoria de Internacional do Estadão.
E, de bonus track, veja o Facebook  da editoria de Internacional do Portal do Estadão,aqui.
.…………………………………………………………………………………………………………………………………………………
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas, xenófobos ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados. Tampouco serão publicados ataques pessoais aos envolvidos na preparação do blog (sequer ataques entre os leitores) nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes. Propaganda eleitoral (ou político-partidária) e publicidade religiosa também serão eliminadas dos comentários. Não é permitido postar links de vídeos. Os comentários que não tiverem qualquer relação com o conteúdo da postagem serão eliminados. Além disso, não publicaremos palavras chulas ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico).