24 horas de Pequim a Taiwan

Cláudia Trevisan

01 de janeiro de 2012 | 17h12

Para um brasileiro que vive em Pequim, o caminho mais rápido para Taiwan pode levar quase 24 horas e exige a passagem por duas alfândegas e câmbio em duas moedas diferentes. A ilha é considerada como uma “província rebelde” pela China e, por isso, não possui representação diplomática no continente, o que obriga os que precisam de visto a viajar até Hong Kong.

A ex-colônia britânica voltou a fazer parte da China em 1997, com a condição de que manterá por 50 anos suas instituições, o que inclui o escritório de Taiwan. Para que saia no mesmo dia, o visto deve ser requerido antes das 11h, o que obriga os que vivem em Pequim a viajarem em Hong Kong no dia anterior.

São três horas e meia da capital chinesa até a ex-colônia britânica, mais do que as três horas e 11 minutos do voo direto que liga Pequim a Taipei. Inaugurada em junho de 2008, a rota pôs fim a 59 anos de interrupção do transporte direto entre a República Popular da China e a República da China, mas é inacessível para os cidadãos de países que precisam de visto para Taiwan, como os brasileiros.

O visto deve ser solicitado no Escritório de Representação Econômica e Cultural de Taipei em Hong Kong, o nome politicamente “neutro” do que na prática funciona como um consulado. Essa é a solução encontrada por Taiwan para ter presença em países com os quais não possui relações diplomáticas.

Se for pedido antes das 11h, o visto é concedido depois das 16h do mesmo dia, o que para mim representava uma dificuldade: o meu voo saía de Hong Kong para Taipei às 15h30. As opções noturnas estavam lotadas e a das 17h30 era US$ 200 mais cara. Restava contar com a boa vontade dos funcionários do escritório, que se comoveram e concederam o visto às 13h, em cima da hora de minha saída para o aeroporto. Cheguei em Taipei às 17h15, exatas 22 horas e 15 minutos depois de ter decolado de Pequim.

Neste link está a reportagem sobre a eleição de Taiwan publicada hoje no Estado:

http://digital.estadao.com.br/download/pdf/2012/01/01/A8.pdf

Tudo o que sabemos sobre:

ChinaTaiwanVistoVoo Direto

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.