A fábrica de bilionários

Cláudia Trevisan

15 de março de 2010 | 12h48

O socialismo com características chinesas continua a produzir bilionários em escala industrial. O número de endinheirados do país com patrimônio superior a US$ 1 bilhão que aparecem na última lista da Forbes mais que dobrou neste ano. Agora, a terra de Mao Tsé-tung tem 64 representantes no ranking, o segundo maior grupo do mundo, atrás apenas dos norte-americanos. Em 2008, havia 28 na lista da Forbes.

 O primeiro colocado da China ocupa a 103ª posição entre as 500 pessoas mais ricas do mundo elencadas na revista. Ele é Zong Qinghou, fundador da empresa de bebidas Wahaha, e possui um patrimônio de US$ 7 bilhões. Como quase todos os bilionários chineses, Zong tem um passado de pobreza e uma fortuna construída a partir do zero. O homem mais rico da China recebeu pouca educação formal, trabalhou no campo e começou seu negócio com um empréstimo de US$ 20 mil. Como muitos outros, Zong é filiado ao Partido Comunista e é delegado do Congresso Nacional do Povo desde 2002.

 Os ricos chineses são autênticos novos-ricos, já que não se valeram do dinheiro de suas famílias para construírem seus negócios. A própria existência de bilionários é algo absolutamente recente no país _os primeiros apareceram só em 2004 e eram apenas três. A partir daí, o grupo se expandiu com rapidez superior ao alucinante ritmo de crescimento da economia chinesa.

 O segundo lugar entre os chineses na lista da Forbes é ocupado por Liu Yongxing (154ª posição no ranking global), dono da empresa de alimentos East Hope Group e detentor de um patrimônio de US$ 5 bilhões. A exemplo de quase todos os chineses da lista, Liu é definido pela Forbes como um “self made” bilionário.

Em seguida aparece Zhang Jindong, que aos 47 anos tem uma fortuna de US$ 4,5 bilhões construída com uma rede de lojas para a venda de eletrônicos.  A quarta posição é de Wang Chuangfu, de 44 anos, dono da montadora de carros elétricos BYD. Wang tem um patrimônio de US$ 4,4 bilhões segundo a Forbes e apareceu em primeiro lugar em outro popular ranking de ricos chineses, o Hurun Report, divulgado em outubro de 2009.

 A lista da Forbes pode ser vista  aqui e da Hurun, aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.