Dia de domingo

Dia de domingo

Cláudia Trevisan

03 de fevereiro de 2010 | 05h37

O inverno implacável de Pequim subiu a temperaturas mais amenas no fim de semana e eu decidi caminhar com alguns amigos no Hou Hai, um dos antigos bairros de Pequim que se espalha ao redor de um conjunto de três lagos. Como acontece todos os anos, a água congelou e se transformou em uma enorme pista de patinação, para a qual centenas de pessoas se dirigem nos fins de semana.

A temperatura no domingo estava bem superior aos cerca de 15ºC negativos registrados em dezembro e grande parte de janeiro, mas não passava muito do 0ºC. Era como um dia bem frio do inverno paulistano. Nesse clima, foi mais que justificiado o meu espanto ao ver um chinês atravessar a rua à minha frente de calção de banho, chinelo, touca e óculos de natação. Parecia o personagem de um filme de verão entrando no set de filmagens errado, já que todo o cenário ao redor pedia casacos, luvas, cachecóis e botas.

Eu o segui com o olhar e vi que havia um grupo de nadadores que desafiava o frio e se atirava em um pequeno trecho do lago onde o gelo havia derretido. Como várias coisas na China, a prática é adotada em razão da convicção de que faz bem à saúde. Os chineses acreditam que o nadar na água gelada em uma temperatura próxima de zero estimula a circulação _o que é verdade, mas o benefício pode vir acompanhado de efeitos colaterais indesejados. No lago ao lado, os moradores da capital preferiam patinar ou deslizar sobre o gelo em cadeiras, com a ajuda de varetas de ferro e devidamente agasalhados.

Aí vão aos fotos do inverno pequinês:

Chineses se preparam para entrar na água


A “piscina” no lago congelado

Bicicletas com roupas e sapatos dos nadadores

A pista de patinação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: