Dilma nega conflito entre Levy e Barbosa e elogia ministro da Fazenda

Cláudia Trevisan

27 de maio de 2015 | 13h32

A presidente Dilma Rousseff disse na manhã desta quarta-feira no México que não divergências entre os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa. Segundo ela, a posição de ambos no governo é “extremamente estável”.

“Nunca houve, desde o momento em que eles assumiram as suas funções, nenhum problema com eles”, afirmou. “Agora eu queria dizer que o ministro Levy é um ministro dedicado, batalhador e trabalhador. Ninguém pode tirar isso do ministro Levy e também não pode tirar isso do ministro Nelson Barbosa.” Os dois ministros têm posição de “unidade” em torno do ajuste fiscal, observou.

A presidente criticou o senador petista Lindbergh Farias, que defendeu na terça-feira o fortalecimento de Barbosa e da ala “desenvolvimentista” do governo. “Acho que estão querendo criar um conflito que não existe e lamento profundamente as posições do senador”, disse a presidente.

Farias foi um dos 3 senadores do PT que votou contra a medida provisória que restringe o acesso a benefícios trabalhistas, como seguro-desemprego e abono salarial, aprovada na noite de terça-feira.

Dilma ressaltou que a posição de Farias, próximo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não reflete a do PT. “Eu vou pedir encarecidamente que não se tome a parte pelo todo”, afirmou. “O senador é responsável pela sua compreensão do processo. O PT jamais, em momento algum, externou esse tipo de posição para mim.”

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Dilma RousseffJoaquim LevyNelson Barbosa