Os novos ricos da China

Cláudia Trevisan

06 de outubro de 2009 | 06h13

A crise global não abalou a máquina chinesa de produzir novos ricos e o número de bilionários do país subiu de 101 no ano passado para 130 em 2009. O topo agora é ocupado por Wang Chuanfu, 43, que viu sua fortuna saltar de US$ 880 milhões para US$ 5,1 bilhões depois que o investidor norte-americano Warren Buffett comprou 10% de sua fábrica de baterias e carros elétricos, a BYD.

Chuanfu integra o time de empresários chineses que estão enriquecendo graças a investimentos em tecnologias “verdes”, no momento em que o governo de Pequim busca reduzir as emissões de gases que provocam o efeito estufa e amenizar o impacto ambiental do crescimento econômico.
A BYD é a primeira montadora do mundo a fabricar em massa um carro híbrido que pode ser recarregado na tomada de uma casa. A companhia foi fundada por Wang em 1995 e nos primeiros anos fabricava baterias para telefones celulares. A transição para o mundo dos carros elétricos só ocorreu em 2003.

Apesar de ser uma novata no setor, a empresa tem como objetivo se tornar a maior fabricante de veículos do mundo em 2025 _lugar ocupado atualmente pela japonesa Toyota. “É irônico que a pessoa mais rica da China seja alguém da indústria automobilística, especialmente se considerarmos a crise que o setor enfrenta ao redor do mundo”, disse Rupert Hoogewerf, responsável pela Hurun Rich List, que traz a relação das 1.000 pessoas mais ricas da China.

O segundo lugar de 2009 é ocupado pela dona de outra empresa com apelo ambiental, Zhang Yin, da Nine Dragons Paper, que fabrica embalagens a partir da reciclagem de aparas de papel importadas dos Estados Unidos. Em 2006, Zhang foi a primeira mulher a liderar o ranking da Hurun, com uma fortuna estimada na época em US$ 3,4 bilhões, valor em 2009 saltou para US$ 4,9 bilhões.

A Hurun List é o retrato da rápida emergência dos novos ricos chineses. Quando ela foi criada, em 1999, era necessária uma fortuna de US$ 6 milhões para integrá-la. Em 2009, o valor já era de US$ 150 milhões, 50% a mais que os US$ 100 milhões de 2009.

A pessoa mais rica da China no ano passado era Huang Guangyu, dono da rede de varejo de eletrodomésticos Gome, que tinha uma fortura de US$ 6,3 bilhões. Huang liderou o ranking em 2004 e 2005 e estava no grupo dos primeiros empresários da China comunista a terem uma fortuna superior a US$ 1 bilhão. Sua sorte virou em novembro do ano passado, quando foi preso sob a acusação de obter ganhos com a manipulação do mercado acionário. Só os dois primeiros colocados da Hurun Rich List foram anunciados na semana passada. O ranking completo será divulgado no fim de outubro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.