Secretária dos EUA se acidenta de bicicleta e cancela viagem ao Brasil

Cláudia Trevisan

15 de junho de 2015 | 15h36

A secretária de Comércio dos EUA, Penny Pritzker, cancelou a viagem que faria ao Brasil nesta semana para participar da reunião do Fórum de CEOs dos dois países. No fim de semana, ela teve um acidente de bicicleta, o segundo a atingir um integrante do gabinete de Barack Obama em pouco mais de duas semanas. No dia 30 de maio, o secretario de Estado, John Kerry, quebrou o fêmur quando pedalava na França.

Integrante da família dona da rede de hotéis Hyatt, Pritzker é triatleta e maratonista. Entre outras competições, participou do Ironman no Havaí. No acidente, ela rompeu tendões no quadril e foi proibida por seus médicos de voar. A delegação do Departamento do Comércio será comandada por seu vice, Bruce Andrews.

A ida de Pritzker ao Brasil fazia parte do processo de normalização da relação bilateral e de preparação da visita que a presidente Dilma Rousseff fará a Washington no fim do mês. Entre os anúncios a serem feitos por Obama e Dilma estão medidas de facilitação do comércio e convergência regulatória. O lado brasileiro também espera que os americanos abram seu mercado para as exportações nacionais de carne.

Criado em 2007 por iniciativa dos então presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e George W. Bush, o Fórum de CEOs foi concebido como uma entidade de representantes do setor privado dos EUA com investimentos no Brasil e vice-versa.

O grupo realizou seu último encontro no Brasil, em março de 2013. A reunião seguinte estava marcada para o mês de outubro daquele ano, em Washington, no âmbito da visita de Estado que Dilma faria aos EUA. A presidente cancelou a viagem depois da divulgação de documentos que mostraram a espionagem de suas comunicações pela Agência de Segurança Nacional (NSA).

O Fórum de CEOs é formado por 12 representantes de cada país. A composição do lado brasileiro será modificada por decisão do governo. Sairão do grupo três empreiteiras investigadas na operação Lava Jato: Odebrecht, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez. Mas Brasília decidiu incluir a Petrobras, que está no centro do escândalo de corrupção. A companhia será a única estatal do fórum.

A inclusão da Petrobras gerou desconforto entre os americanos. Além do Brasil, a empresa é investigada nos EUA pelo Departamento de Justiça e pela instituição que regula o mercado acionário. Mas como a decisão final sobre a escolha dos CEOs é do governo de cada país, os americanos preferiram não se opor e interpretaram a decisão como um passo do Brasil no esforço de recuperar a credibilidade da Petrobras.

Também sairão do fórum os representes das companhias Vale, Suzano, Votorantim e o banco Safra. Entram Petrobras, Ambev, Bradesco, Dasa, Eurofarma, JBS e Kroton Educacional. Permanecem Coteminas, Cutrale, Embraer, Gerdau e Stefanini.

Tudo o que sabemos sobre:

BrasilEUAFórum de CEOsPenny Pritzker