Além de previsão, Simpsons se posicionaram a favor de Clinton e negaram ajuda de Putin

Além de previsão, Simpsons se posicionaram a favor de Clinton e negaram ajuda de Putin

Em 2000, Trump foi apontado como antecessor de Lisa Simpson na presidência dos Estados Unidos

Redação Internacional

09 de novembro de 2016 | 09h34

Nos últimos anos, o seriado animado americano “The Simpsons” ficou conhecido por diversas situações previstas nos episódios e que, anos depois, se tornaram realidade. Entre os exemplos estão as chamadas de vídeo nos celulares, o atentado terrorista ao World Trade Center, em Nova York, e até a derrota do Brasil para a Alemanha na Copa do Mundo.

Porém, a previsão do seriado que mais ganhou notoriedade recentemente foi a que mostra Donald Trump como presidente dos Estados Unidos. O 17º episódio da 11ª temporada, chamado “Bart to the Future” e transmitido em 19 de março de 2000, mostra como seria um mundo segundo a perspectiva do filho mais velho da família.

Em julho de 2015, Homer Simpson foi sugado pelo cabelo de Donald Trump (Foto: Reprodução/ YouTube)

Em julho de 2015, Homer Simpson foi sugado pelo cabelo de Donald Trump (Foto: Reprodução/ YouTube)

Na suposição, sua irmã, Lisa Simpson, é mostrada como a primeira mulher eleita à Casa Branca na história. Em uma cena ela diz: “Como vocês sabem, herdamos um orçamento quebrado do presidente Trump”. Assim, o magnata do ramo imobiliário é mostrado como o antecessor de Lisa no comando do país.

Trump voltou ao seriado em em julho de 2015, em um clipe curto lançado pela FOX, no YouTube. Na peça, Homer fica atrás de Trump em uma escada rolante e acaba sendo sugado para o cabelo do republicano.

Neste ano, a família de Springfield retratou em mais duas ocasiões a eleição americana, mostrando inclusive a posição política de Homer e Margie. No mês de julho, o casal aparece assistindo a um vídeo sobre como Hillary Clinton e Donald Trump responderiam a um chamado urgente.

Ao final o breve filme na TV, Margie se diz convencida sobre sua candidata. Homer, por sua vez, confirma que escolheu Trump. “Se esse é o seu voto, me pergunto então se um dia poderei ficar com você de novo”, retruca a mulher, colocando Santa’s Little Helper, o cachorro da família, entre eles na cama. Homer, então, se vira para a câmara e diz: “E foi assim que virei um democrata”, dando um beijo na mulher.

Outro vídeo promocional, este lançado em outubro, descreve como Homer votaria no dia 8 de novembro. Na fila antes de ir entrar na cabine, ele começa a conversar com um suposto torcedor do Boston Red Sox, tradicional time de beisebol dos Estados Unidos. O homem começa a exaltar as qualidades de Trump, o descrevendo como “bom empresário, nunca dorme, não paga seus impostos… legalmente.” Homer retruca dizendo que não irá votar “em alguém que faliu seis vezes. São duas vezes a mais que eu!”.

E o fã reforça que “o homem laranja vai construir um muro para manter longe as misses que comem demais. E mais, ele tem um plano para fazer a Rússia grande de novo!” Homer desconfia, parte para cima e, ao tirar a máscara, descobre que o torcedor na verdade é o presidente russo Vladimir Putin. Por diversas vezes durante a atual corrida presidencial, o chefe do Kremlin elogiou o candidato republicano.

Quando o nome de Homer Simpson não aparece no registro e é impedido de votar, Putin aparece montado em um cavelo e sem camisa o tranquilizando: “Não se preocupe, meus hackers garantiram que você vote. Trump vai ganhar, 102% de certeza. Negócios são negócios”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.