Após discurso, latinos se distanciam de vez de Trump

Após discurso, latinos se distanciam de vez de Trump

Representantes da comunidade hispânica retiram pequeno apoio que magnata conquistara

Redação Internacional

01 de setembro de 2016 | 18h28

WASHINGTON – Os esparsos partidários latinos da campanha de Donald Trump desistiram de vez de apoiá-lo após seu duro discurso contra imigrantes na noite de quarta-feira. Nesta quinta-feira, 1º, membros de um recém-criado grupo de assessores latinos do magnata e outros representantes dispostos a ajudá-lo anunciaram que não mais votariam nele.

No discurso, na cidade de Phoenix, no Arizona, Trump reiterou que a única maneira de um estrangeiro sem documentos viver nos EUA sob sua presidência seria deixar o país e pedir permissão para voltar. A expectativa, porém, era de que Trump suavizaria sua retórica anti-imigrante, atendendo à pressão interna republicana que teme alienar esse importante grupo de eleitores.

Ainda que não tenha reiterado a proposta de deportar os cerca de 11 milhões de ilegais do país, como afirmou anteriormente, disse que “só” expulsará quem tiver ficha criminal ou expirado o prazo do visto para deixar o país.

Donald Trump, the Republican presidential nominee, during a campaign event focused on immigration policy, at the Phoenix Convention Center in Phoenix, Aug. 31, 2016. Trump made an audacious attempt Wednesday to remake his image on the divisive issue of immigration, shelving his plan to deport 11 million undocumented people and arguing that a Trump administration and Mexico would secure the border together. (Travis Dove/The New York Times)

Trump discursa em Phoenix. Foto: Travis Dove/NYT

Alfonso Aquilar, que recentemente organizou uma carta em favor do magnata, disse que se sentia “desapontado e induzido ao erro” pelo magnata e estava retirando seu apoio a ele.

“Nos últimos dois meses, ele afirmou que não deportaria pessoas sem registros criminais. Ele, na verdade, disse que trataria imigrantes sem documentos e sem ficha criminal com compaixão”, afirmou Aguilar à TV CNN. Aguilar é presidente do grupo Parceira Latina de Princípios Conservadores.

Alguns membros do conselho latino criado por Trump no mês passado para aconselhá-lo nas questões migratórias também indicaram que deveriam cortar relações e não votariam mais no republicano.

Trump fez o discurso após reiterar ao presidente do México, Enrique Peña Nieto, no seu palácio presidencial, a proposta de erguer um muro na fronteira com o México. O convite partiu do líder mexicano e Trump surpreendeu ao anunciar a viagem, na terça-feira. Pressionado por receber o magnata, o presidente afirmou, após o encontro, que as políticas de Trump são uma “ameaça ao México” e ele “não ficará de braços cruzados” diante delas. / REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:

Donald TrumpMéxicoEleições nos EUA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.