Artigo: Trump é ‘invasor legal’ dos EUA

Redação Internacional

27 de outubro de 2016 | 05h00

 *Thomas L. Friedman
THE NEW YORK TIMES 
Demorou um pouco para eu encontrar o mais preciso rótulo político para descrever Donald Trump neste momento em que sua campanha presidencial rosna e baba a caminho do fim. Mas acho que finalmente encontrei: Trump é um “invasor legal”. O homem que passou o último ano atacando os “traiçoeiros estrangeiros ilegais” que estão destruindo nosso país é, na verdade, um invasor legal – alguém nascido nos EUA, mas cujos valores são totalmente estranhos a tudo o que fez a grandeza dessa nação.

Quem vocês conhecem que tenha ofendido imigrantes, muçulmanos e mexicanos; achincalhado nossos recentes acordos comerciais; montado uma campanha eleitoral fraudulenta, acusando nosso presidente de não ter nascido no país; insultado todo o processo eleitoral ao concorrer ao mais alto cargo sem ter nem começado a lição de casa; manifestado orgulho por ter agarrado mulheres pelos genitais; menosprezado nossos aliados na Otan; parabenizado o presidente ditatorial da Rússia e o encorajado a hackear e-mails do Partido Democrata; prometido processar sua rival de campanha se for eleito; ameaçado reduzir a liberdade de imprensa; sugerido que os defensores das armas tomem a lei nas mãos se Hillary Clinton vencer; insultado os pais de um herói morto na Guerra do Iraque; sido acusado por 11 mulheres de assédio sexual ou outras desagradáveis investidas físicas; procurado solapar o sistema eleitoral dos EUA acusando-o, sem nenhum vestígio de prova, de ser tão fraudulento que ele, Trump, não se compromete a admitir a derrota, caso venha a perder; e tenha sido citado por mentir sobre mais coisas, mais vezes, por mais meios e em mais dias que qualquer outro aspirante à presidência na história?

Esse coquetel de atitudes e comportamentos tóxicos é totalmente estranho a qualquer um que já tenha disputado a presidência. Felizmente, uma esmagadora maioria vai arrasar Trump nas urnas e avisá-lo de que é ele que deve ser moralmente deportado, só sendo permitida sua volta à sociedade se mudar suas atitudes.
Na medida em que a centro-direita e a centro-esquerda consigam se unir em torno de programas que ajudem os americanos a usufruir do melhor deste mundo, e os protejam do pior, todos nos beneficiaremos. Mas, quanto mais divisões tribais sofrermos, mais o sonho americano será um conceito alienígena para todos nós. / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ

*É COLUNISTA

Tudo o que sabemos sobre:

Donald TrumpHillary Clinton

Tendências: