Campanha de Hillary critica diretor do FBI e pressiona por mais detalhes

Campanha de Hillary critica diretor do FBI e pressiona por mais detalhes

Para democratas, se ele pode divulgar informações inconclusivas sobre a candidata, pode fazer o mesmo com o rival republicano, Donald Trump

Redação Internacional

01 de novembro de 2016 | 16h45

WHITE PLAINS, NOVA YORK – A campanha presidencial de Hillary Clinton aumentou a pressão nesta terça-feira, 1º, sobre o diretor do FBI, James Comey, dizendo que se ele pode divulgar informações inconclusivas sobre a candidata democrata, pode fazer o mesmo com o rival republicano, Donald Trump.

Uma semana antes da eleição, a campanha de Hillary trabalha para conter os danos do anúncio de Comey na sexta-feira sobre novos e-mails que podem pertencer a uma investigação prévia sobre o uso por Hillary de um servidor privado enquanto era secretária de Estado.

In this photo taken Oct. 31, 2016, Democratic presidential candidate Hillary Clinton in Cincinnati, Ohio. Neither Clinton nor Donald Trump talks much anymore about why they're the best choice for president. Instead in the campaign's last days, they're focused on casting each other as a catastrophic choice. (AP Photo/Matt Rourke)

Foto: Matt Rourke/AP

O candidato republicano à Casa Branca aproveitou a revelação, que não indicou quaisquer atos irregulares de Hillary, intensificando suas críticas à rival e conquistando mais apoio à sua candidatura. Pesquisa da ABC/Washington Post divulgada nesta terça-feira mostra o republicano 1 ponto porcentual à frente da democrata.

O gerente da campanha de Hillary, Robby Mook, questionou o motivo de o diretor do FBI não ter divulgado informações sobre sua investigação sobre o papel da Rússia na eleição americana ou laços com Trump e seus assessores.

“Se você está no negócio de divulgar informações sobre investigações contra candidatos presidenciais, divulgue tudo que você tem sobre Donald Trump, divulgue a informação de sua relação com os russos”, disse Mook à CNN. “O diretor Comey precisa responder a isso.”

Autoridades têm investigado o papel da Rússia na campanha presidencial e quaisquer laços com Trump ou seus assessores, mas não encontraram ligações diretas ou conclusivas, relatou o New York Times na segunda-feira. Os Estados Unidos culpam a Rússia por ataques cibernéticos contra organizações do Partido Democrata. / REUTERS

Tendências: