Cenário: Mike Pence deveria convencer bilionário  a deixar disputa

Cenário: Mike Pence deveria convencer bilionário a deixar disputa

Se o vice repudiasse publicamente seu companheiro de chapa, a campanha de Trump ficaria insustentável

Redação Internacional

10 Agosto 2016 | 05h00

Matt Latimer
The New York Times

No último ano, todos os esforços dos líderes republicanos para derrubar Donald Trump terminaram em embaraçosos fracassos. Mas, segundo informações, pessoas do partido estão considerando outros meios de descolar a marca Trump do resto da legenda. A melhor opção em exame é evitar um desgastante e um inútil confronto e ajudar tanto Trump quanto o Partido Republicano a salvar as aparências. O que põe todos agora à espera de que o companheiro de chapa de Trump, Mike Pence, faça o que tem de ser feito.

Digo isso não como membro da facção “Trump Jamais!”. Embora Trump não tenha sido minha primeira escolha para a indicação, achei às vezes interessantes seus ataques à ordem estabelecida, até mesmo divertidos, e respeitei a vontade dos eleitores republicanos de todas as classes. Mas, nas últimas semanas – na verdade, meses – as armadilhas desse “salvacionismo” ficaram patentes.

Trump, um homem de negócios acostumado a não dar satisfações a ninguém, parece incapaz de ignorar qualquer provocação, por menor que seja. Ele já mostrou que não quer, ou não consegue, se adaptar a um discurso consistente ou a conter seus piores impulsos. Não tem habilidade para formar, ou, mais importante, ampliar uma coalizão eleitoral. Mesmo que conquiste a presidência – cargo que exige negociação, diplomacia, disciplina, cortesia e vestígios de curiosidade intelectual –, não está claro se Trump conseguirá administrar ou representar a posição.

Ele já se maravilhou muitas vezes por ter conseguido chegar onde chegou. Agora precisa de alguém que o guie para uma saída honrosa. Esse alguém é Pence. O despretensioso governador de Indiana está numa posição de poder. Se ele repudiasse publicamente seu companheiro de chapa, ou questionasse sua qualificação para a presidência, a campanha de Trump ficaria insustentável. Pence não precisa tomar essa atitude tão drástica, mas a perspectiva de poder fazer isso poderia persuadir seu companheiro de chapa a pensar numa retirada. / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ

É EX-REDATOR DE DISCURSOS DO PRESIDENTE GEORGE W. BUSH