Cidade de Melania aposta no turismo

Cidade de Melania aposta no turismo

A pequena Sevnica quer lucrar com a eleição de Trump

Redação Internacional

16 de novembro de 2016 | 05h00

Jamil Chade
Correspondente / Genebra

Politicamente, Donald Trump não atrai nenhum tipo de simpatia dos políticos tradicionais da Europa, mas o prefeito da cidade eslovena de Sevnica, Srecko Ocvirk, aposta no resultado da eleição para “desenvolver a cidade como um destino turístico”.

O sentimento na pequena cidade é de esperança de que a vitória do republicano traga dividendos, já que a mulher dele, Melania, nasceu em Sevnica. Foi ali, no vale de Sava e aos pés dos Alpes, que a futura primeira-dama dos EUA cresceu, nos anos 70, sob o regime comunista da Iugoslávia.

A view of Sevnica, the Slovenian town of 4,500 where Melania Trump grew up, May 15, 2016. Growing up under a Communist regime, Trump showed a determination to move ahead in the world. On July 18, she is to address millions of Americans in a televised speech at the Republican National Convention in Cleveland. (Sergey Ponomarev/The New York Times)

Sevnica tem castelo, ruínas e Festival do Salame. Foto Sergey Ponomarev / NYT

 

Para tentar atrair a atenção internacional, o conselho de turismo da região divulgou um comunicado destacando que a Eslovênia produz vinhos e tem uma culinária de qualidade. Com apenas 2 milhões de habitantes, o país europeu tenta se posicionar como um novo destino do turismo.

Em Sevnica, com apenas 6 mil habitantes, um castelo de 900 anos e sítios arqueológicos do século 5.º são algumas das atrações. Mas a realidade é que a cidade era desconhecida até mesmo para muitos eslovenos. Uma das poucas atrações da região é o “Festival do Salame”.

Ao Estado, funcionários da prefeitura contam que placas já foram colocadas na entrada da cidade alertando: “Bem-vindo à terra na primeira-dama”.

Melania, na realidade, nasceu num subúrbio ao lado, em Novo Mesto, mas logo se mudou para Sevnica. Ali, viveu em um modesto apartamento no melhor estilo comunista, construído para os operários da região.

Melania deixou a cidade para frequentar o colegial na capital, Liubliana, onde chegou a cursar um ano de faculdade, mas abandonou os estudos para se dedicar à vida de modelo. Foi em Nova York que, em 1998, que ela conheceu Trump numa festa em que ele estava acompanhado por outra mulher.

Na única vez em que o casal visitou a Eslovênia, em 2002, moradores contam que o pai dela, Viktor, pediu emprestado uma Mercedes para ir ao aeroporto esperar pelo jato privado do futuro genro. O encontro se resumiu a um jantar.

Mais recentemente, os pais da primeira-dama passaram a viver no Trump Plaza, o icônico prédio do magnata em Nova York. Mas o prefeito de Sevnica garantiu que a mãe de Melania prometeu que ela viria visitar a cidade, ainda durante o mandato de Trump na Casa Branca.

Enquanto isso, os raros e pequenos hotéis da cidade admitem que tem sido surpreendidos pelo número de ligações de pessoas interessadas em visitar o local. Martin Dolinsek, dono de uma pousada, confirma que operadores “até dos EUA” têm telefonado para saber das condições de acomodação para iniciar pacotes pela região.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: