Cinco cenários possíveis das eleições americanas

Cinco cenários possíveis das eleições americanas

De vitória esmagadora a possível empate, confira o que pode acontecer no resultado da disputa entre Hillary Clinton e Donald Trump

Redação Internacional

08 de novembro de 2016 | 17h52

O jornalista Tom McCarthy, do jornal britânico The Guardian, previu cinco cenários possíveis para o final das eleições americanas desta terça-feira, 8. Veja abaixo quais são eles:

Cenário 1: Hillary vence de forma esmagadora

Hillary em evento de campanha. Foto: Mike Blake/Reuters

Foto: Mike Blake/Reuters

O candidato republicano, Donald Trump, perde em todos os Estados nos quais o partido tradicionalmente vence, tais como Georgia, Arizona e Texas. A derrota viria também de Estados como Flórida, Carolina do Norte e Ohio, assim como em Iowa e Colorado, transformando os EUA em um país predominantemente democrata.

McCarthy imagina os líderes republicanos em declarações às redes de televisão no dia após as eleições para explicar que a nominação de Trump foi um tremendo erro histórico.

Cenário 2: Trump é eleito presidente

Trump em comício. Foto: Jim Urquhart/Reuters

Foto: Jim Urquhart/Reuters

Surpreendentemente, o candidato vence nos 270 colégios eleitorais necessários para fazê-lo ser o novo anfitrião da Casa Branca, contra os 268 conquistados por sua rival, Hillary. Trump deve a vitória apertada aos eleitores brancos, em especial os que moram na área rural dos EUA. Ele perde em Estados como Virgina, pois os moradores dos subúrbios de DC têm tido experiências próximas do governo atual e não podem nem imaginar alguém como Trump na vizinhança.

Todos os ventos sopram a favor do republicano quando ele ganha em Wisconsin, o Estado que não elege um presidente republicano desde 1988.

Cenário 3: Hillary vence nos 45 do segundo tempo

Hillary e Bill Clinton. Foto: Gerry Broome/AP

Foto: Gerry Broome/AP

Os democratas estão à beira de um colapso nervoso. Embora tenha conquistado vitória nos Estados esperados, como Nevada, Pensilvânia e Virginia, Hillary vislumbra indícios de uma possível derrota. Tudo isso porque eleitores independentes de New Hampshire começaram a reagir aos últimos apelos de Trump e decidiram que não aceitarão uma dinastia Clinton na política americana.  

A vitória não parece estar a favor de Hillary Clinton até poucos minutos do fim da contagem de votos, onde resta apenas Flórida entregar o resultado. O último a lançar o resultado é o condado de Broward, onde Obama ganhou mais de 260 mil votos em 2012: a preferência continua sendo democrata. Trump chora e Hillary respira, aliviada.

Cenário 4: Hillary e Trump empatam

Hillary-Clinton-e-Donald-Trump_Reuters

Foto: Reuters

Embora isso nunca tenha acontecido antes, nada é impossível. Em caso de empate entre os candidatos à presidência, quem escolhe o eleito é a Câmara dos Representantes e o presidente do Senado (vice-presidente dos EUA). A regra foi imposta pela 12ª Emenda da Constituição dos EUA, aprovada em 1804.

Como a Câmara e o Senado contam com maioria republicana, Donald Trump seria eleito em caso de empate.

Cenário 5: América de Trump

Donald Trump em campanha. Foto: Timothy A. Clary/AFP

Foto: Timothy A. Clary/AFP

O Reino Unido votou pelo Brexit, o Chicago Cubs venceu o World Series e só resta um acontecimento para fechar o trio de fatos bizarros de 2016: Donald Trump ser eleito presidente.  

Tudo começa quando as pessoas mal podem acreditar quando o republicano vence na Pensilvânia – descobre-se que os afro-americanos decidiram ficar em casa e um número considerável de centristas da Filadélfia chegou à conclusão de que um candidato fã de golf não poderia ser tão ruim assim. Trump ganha no Colorado, perde em Nevada e em alguns estados do nordeste, mas quem se importa? Afinal, o candidato republicano tem nas mãos mais de 300 colégios eleitorais e as chaves da Casa Branca.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.