Das prévias ao último debate: os principais fatos da campanha de Hillary Clinton

Das prévias ao último debate: os principais fatos da campanha de Hillary Clinton

Democrata ganhou apoio de mães de negros mortos por policiais e fez discursos duros contra Donald Trump

Redação Internacional

08 de novembro de 2016 | 13h18

Ex-senadora, primeira-dama e secretária de Estado, Hillary Clinton anunciou sua pré-candidatura no Partido Democrata em abril de 2015. Sete anos depois de ser derrotada por Barack Obama, ela agora confrontaria Bernie Sanders na disputa interna. “Todos os dias os americanos precisam de um campeão, e eu quero ser esse campeão”, dizia a democrata em seu primeiro vídeo promocional. Confira os principais fatos da campanha de Hillary.

Discussão com líder de movimento negro
Clinton entrou em uma discussão repentina com um ativista do movimento Black Lives Matter, o qual a interrogou sobre o suporte que deu ao Ato de Controle a Crimes Violentos e Execução Judicial, proposta por Bill Clinton em 1994, que teria aumentado os casos de racismo e causado prisões em massa. Ela desafiou o jovem para canalizar sua causa pela mudança da política.

Hillary Clinton derrotou Bernie Sanders nas prévias do Partido Democrata (Foto: Mike Segar/ Reuters)

Hillary Clinton derrotou Bernie Sanders nas prévias do Partido Democrata (Foto: Mike Segar/ Reuters)

Problema com e-mail e desculpas tardias
Como exemplo de se manter e não ceder espaço sob pressão, ela resistiu à sugestão de se desculpar por usar um servidor privado para seus e-mails durante o mandato na Departamento de Estado, insistindo que o escândalo havia sido fabricado pelos oponentes e pela mídia. Em setembro, ela finalmente admitiu que a prática foi um erro.

Mães de negros mortos apoiaram Hillary
As mães de Michael Brown, Trayvon Martin, Eric Garner, Tamir Rice e outra meia dúzia de negros mortos pela polícia ou por armas de fogo viraram grandes cabos eleitorais de Hillary após ela pedir para que contassem suas histórias em um jantar de três horas em Chicago. “Ele pegou um bloco e uma caneta, anotou algumas coisas e nos perguntou do que precisávamos”, uma das mães relatou.

Clinton finalmente vence Sanders
Um ano após a apresentação de sua pré-candidatura, Hillary Clinton efetivamente derrotou Bernie Sanders após vencer uma série de primárias democratas no nordeste dos Estados Unidos, fazendo-a focar finalmente na eleição geral.

Discurso contra ‘fina pele’ de Donald Trump
Hillary fez um ataque direto a Donald Trump em um discurso em San Diego, o descrevendo como um amador infantil, imprudente, desinformado, mentalmente desequilibrado e um perigo, tanto aos Estados Unidos como ao mundo. Sobre as propostas de política externa do republicano, Clinton declarou que “não são nem realmente ideias, só uma série de retóricas bizarras, brigas pessoais e mentiras”.

Ataque ao novo conservadorismo
A candidata democrata criticou a campanha de Trump por dar voz ao “alt-right”, movimento em defesa dos “brancos perseguidos” que infesta a internet com memes contra negros, mulheres, muçulmanos e judeus. Para Clinton, o adversário adotou o discurso de “preconceito e paranoia” e estava “levando grupos de ódio como populares”.

‘Cesta de deploráveis’
Hillary Clinton fez no público em Manhattan dar risada quando disse que metade dos apoiadores de Trump poderiam estar em uma “cesta de deploráveis”. Muitos deles seriam “racistas, sexistas, homofóbicos, xenofóbicos, islamofóbicos, você decidem”. Trump declarou que a candidata desdenhou de seus partidários brancos e menos abonados.

Pneumonia fez Hillary sair dos holofotes e aumentar teorias conspitatórias sobre sua saúde (Foto: Eric Thayer/ The New York Times)

Pneumonia fez Hillary sair dos holofotes e aumentar teorias conspitatórias sobre sua saúde (Foto: Eric Thayer/ The New York Times)

Pneumonia
Ela enfrentou mais problemas quando foi vista cambaleando e saindo abruptamente um memorial sobre 11 de setembro. Após admitir que estava com pneumonia, Hillary cedeu espaço a Donald Trump e aumentou as teorias conspiratórias sobre sua saúde.

Ligações financeiras reveladas pelo WikiLeaks
Em falas interceptadas por hackers e publicadas pelo WikiLeaks, a Democrata mostrou discurso contrário ao da sua campanha. Nas mensagens, Hillary Clinton é compatível com os ultra-ricos, aderiu ao livre-comércio, exaltou um plano de equilíbrio de finanças que requereria cortes na Segurança Social e refletiu sobre a riqueza da família sobre palestras pagas por empresas financeiras e que antes tinha escondido do público.

Figura feminista complicada
Clinton respondeu de forma cautelosa às crescentes acusações de abuso sexual contra Donald Trump e ao debate nacional sobre privilégio masculino que surgiu em seguida. Esse cuidado frisou sua posição complicada na história feminista, apesar de ser a primeira candidata à presidência americana.

Estilo de Trump contra Trump
Hillary se saiu bem melhor que o oponente republicano no terceiro debate presidencial, o zombando, alfinetando e provocando com uma série de argumentos precisos que explicitou a conduta do próprio Donald Trump. Ela realizou várias das táticas contra ele próprio, o atormentando com um sorriso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.