Edward Snowden comenta sobre eleição no Twitter, mas não revela se votou

Edward Snowden comenta sobre eleição no Twitter, mas não revela se votou

'Um melhor futuro não se alcança só com votos e esperança, mas reconhecendo que somos mais do que uma cruz em um quadro'

Redação Internacional

08 de novembro de 2016 | 15h33

MOSCOU  – O ex-analista da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos Edward Snowden, que revelou a espionagem realizada pelo órgão norte-americano em nível mundial, comentou nesta terça-feira as eleições no país pelo Twitter, mas não esclareceu se exerceu seu direito ao voto.

“Um melhor futuro não se alcança só com votos e esperança, mas reconhecendo que somos mais do que uma cruz em um quadro”, disse Snowden em referência à cédula usada na votação.

Snowden, asilado na Rússia desde 2013, tinha expressado em setembro sua intenção de votar no pleito. Subentende-se que ele exerceria o direito ao voto por correio, já que se fosse à embaixada americana em Moscou seria detido imediatamente.

“Hoje fazemos o amanhã. Nunca duvide que um pequeno grupo de cidadãos comprometidos e reflexivos pode mudar o mundo. Efetivamente, isso sempre ocorreu”, comentou Snowden no Twitter.

O ex-analista também afirmou que não tem intenção de tornar público se prefere a democrata Hillary Clinton ou o republicano Donald Trump e se mostrou decepcionado pela falta de discussão sobre os direitos constitucionais dos americanos na campanha.

Ex-analista da NSA, Edward Snowden está asilado na Rússia desde 2013 (Foto: Reuters)

Ex-analista da NSA, Edward Snowden está asilado na Rússia desde 2013 (Foto: Reuters)

Apesar de preferir sigilo sobre suas preferências eleitorais, Snowden criticou recentemente a ex-secretária de Estado por violar as regras de gestão de informações sigilosas, em alusão ao uso de um servidor privado de e-mail quando exercia o cargo no governo.

“Violar as regras de sigilo (de documentos secretos) em benefício público e você pode acabar no exílio. Faça o mesmo em benefício próprio e poderá chegar a ser presidente”, ironizou Snowden, brincando com o fato de ter revelado a espionagem da NSA.

O senador Bernie Sanders, rival de Hillary nas primárias democratas, se uniu a outras personalidades como o linguista Noam Chomsky e a atriz Susan Sarandon para pedir clemência para Snowden.

“As informações reveladas por Snowden permitiram que o Congresso e os cidadãos americanos compreendessem até que ponto a NSA abusou de sua autoridade e violou nossos direitos constitucionais”, afirmou Sanders./ EFE

Tudo o que sabemos sobre:

edward snowden

Tendências: